sexta-feira, 31 de julho de 2009

SAÚDE:Holandeses desenvolvem nova arma contra a malária

NIJMEGEN-O desenvolvimento de uma vacina contra a malária parece estar mais próximo. Uma pesquisa feita pelo Centro Médico da Universidade Radboud, na cidade holandesa de Nijmegen, mostrou que pode-se, facilmente, criar resistência contra a doença.
Os pesquisadores decidiram adoptar uma nova estratégia para lutar contra a malária, testando a possibilidade de tornar pessoas imunes à doença mais rapidamente – e isto parece ter sido provado.
Todos os anos, milhões de pessoas em todo o mundo sofrem as consequências da malária, especialmente crianças, que ainda não têm o sistema imunológico suficientemente desenvolvido. A maioria das vítimas vive na África.
Descoberta decisiva
A doença é transmitida por um mosquito que deposita o parasita da malária na corrente sanguínea do ser humano. Voluntários que nunca haviam tido malária, nem possuíam imunidade à doença, foram expostos às picadas do mosquito da malária e, simultaneamente, receberam o conhecido remédio anti-malária chloroquine. Eles desenvolveram uma reação imunológica e não ficaram doentes. Alguns meses mais tarde, foram novamente expostos às picadas do mosquito, desta vez sem a proteção do medicamento. A resistência desenvolvida forneceu proteção suficiente, afirma o prof. Robert Sauerwein, do setor de Parasitologia Médica da Universidade Radboud.
De acordo com os pesquisadores, o segredo está em um grupo específico de células de defesa, as chamadas células T-multifuncionais, que fazem com que proteínas hostis se tornem inofensivas. O diferencial da pesquisa feita em Nijmegen é que os voluntários são ‘vacinados’ com o parasita inteiro, e não apenas com parte da proteína nociva. O objetivo é utilizar um parasita enfraquecido para criar imunidade, da mesma maneira que um vírus da gripe enfraquecido é usado para uma vacina contra a gripe.
Efetividade
Um factor importante da pesquisa é a rapidez com que a resistência parece ter-se desenvolvido, de acordo com o prof. Sauerwein: “O que nós fizemos foi usar o parasita da malária para imunizar os voluntários. E fizemos isso da maneira convencional, a partir da própria picada do mosquito. Então é importante dizer que nós não descobrimos uma vacina, mas sim um novo método que permite desenvolver resistência à malária muito mais rápido.”
Imunidade
A pesquisa imita as circunstâncias naturais nas quais as pessoas são infectadas e desenvolvem imunidade. No total, os voluntários foram picados 45 vezes em um período de três meses. O prof. Sauerwein diz que, nos trópicos, as pessoas às vezes são picadas centenas de vezes por noite pelos mosquitos e assim desenvolvem imunidade, mas isso leva de cinco a dez anos.
Um voluntário que foi picado pelo mosquito sem a proteção do chloroquine desenvolveu a doença, mas o prof. Sauerwein diz que após o tratamento ele se recuperou sem complicações.
Parasita enfraquecido
De acordo com a parasitologista, dra. Petra Mens, do Centro de Pesquisas biomédicas do Instituto Real dos Trópicos, em Amsterdão, a descoberta dá um passo importante. O grande desafio agora está em desenvolver uma vacina que ofereça proteção duradoura.
“A questão agora é, naturalmente, saber quanto tempo esta proteção irá durar, porque em África as pessoas são infectadas continuamente pelos mosquitos. E se uma nova vacina tiver que ser aplicada, digamos, a cada seis meses, não é uma opção viável. Certamente não em regiões muito extensas como a África, o sudeste asiático ou a América do Sul.”
De acordo com a dra. Mens, a pesquisa não está apenas ajudando cientistas na Europa, mas também todas as pessoas no mundo que pegam malária todos os anos, resultando em um milhão de mortes e 30 milhões de doentes. A pesquisa de Nijmegen ainda não pode ajudá-los na prática, mas o prof. Sauerwein acredita que a vacina agora está mais próxima:
“O que temos que fazer agora é parar de usar o mosquito como injeção natural e ter o parasita para ser administrado com uma injeção. Já estamos em contato com uma companhia norte-americana que tem a tecnologia necessária para isso. E não queremos mais usar chloroquine para enfraquecer o parasita da malária, porque na África já há muita resistência a este remédio, então queremos usar um outro método para enfraquecer o parasita. Isso poderia ser feito, por exemplo, enfraquecendo-o através de manipulação genética ou através de radiação.”
Resistência
Segundo o prof. Sauerwein, uma injeção com um parasita enfraquecido tem a mesma efetividade de uma picada de mosquito sob proteção de medicamento anti-malária. A vacina oferece uma saída para o crescente problema de pessoas que se tornaram resistentes a determinados tipos de medicamento anti-malária. Sob circunstâncias normais, o parasita desaparece do corpo após três dias. Em África, o chloroquine não é mais prescrito como remédio porque os parasitas também se tornaram resistentes a ele.
RNW por Willemien Groot

quinta-feira, 30 de julho de 2009

ANGOLA:Presidente do BAD impressionado com recuperação de Angola

LUANDA – O presidente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), o ruandês Donald Kaberuka, mostrou-se hoje, em Luanda, "muito impressionado" com a recuperação da economia angolana desde o fim do conflito armado, em Abril de 2002.
O economista falava aos jornalistas momentos após a sua chegada à capital angolana, onde deverá auscultar as autoridades locais sobre os efeitos da crise mundial na economia angolana entre outras questões.

"Estou muito satisfeito por estar em Angola e pretendo, durante este tempo, discutir com as autoridades angolanas e tentar perceber até que ponto a actual crise mundial está a afectar Angola", afirmou.

Kaberuka manifestou ainda a total disponibilidade do BAD em continuar a apoiar o processo de recuperação e reconstrução de Angola.
Considerou que como outros países africanos, Angola também foi, obviamente, afectada pela crise, por isso está "muito ansioso" para as reuniões que tem agendadas com o governo e o sector privado, a fim de em conjunto encontrarem vias e formas de mitigar os efeitos da mesma (crise).

"Já tive o prazer de receber em audiência a Ministra do Planeamento de Angola, Ana Dias Lourenço, com quem falei sobre o possível relançamento das relações entre o BAD e o governo angolano, por isso o segundo objectivo, é discutir sobre cooperação em várias áreas, com destaque para as infra-estruturas, área social e o sector privado", concluiu.
Ana Dias Lourenço encontrou-se com o presidente do BAD de 16 a 17 do presente, na Tunísia, aquando da sua missão oficial àquela instituição bancária.

Donald Kaberuka tomou posse a 1 de Setembro de 2005, numa cerimónia realizada na agência temporária de relocalização do BAD, em Tunis, Tunísia.

O BAD tem como missão, a promoção de investimento de capital público e privado, em projectos e programas que são susceptíveis de contribuir para o desenvolvimento económico dos países membros.
Angola integra o grupo de 53 estados que compõem os Países Membro Regionais (PMR) do Banco Africano de Desenvolvimento.
ANGOP

CV:NEVES ORGULHOSO COM ESTADO DA SUA GOVERNAÇÃO

"É natural que se tenha registado algum abrandamento da actividade económica no primeiro semestre deste ano, com particular incidência no turismo e na construção civil, com reflexos negativos a nível do emprego...
PRAIA
– Acabou há momentos o debate sobre o Estado da Nação no Parlamento cabo-verdiano, marcado, mais uma vez, por discursos de ocasião. O Governo e a Situação (PAICV) a dizerem que o país está a desenvolver a mil maravilhas e a Oposição (MpD), a dizer o contrário.
No seu discurso de abertura do debate, esta manhã, o Primeiro-ministro disse que não é por acaso que Cabo Verde “é hoje um país com credibilidade, reconhecido como modelo de boa governação, estando nos lugares cimeiros das classificações internacionais”.
Para José Maria Neves somos uma Nação que está a realizar a sua ambição.
“Temos hoje mais do que nunca uma Nação confiante, orgulhosa, com auto estima. Uma Nação global que afirma a sua singularidade estribada na força da cultura crioula” acrescentou o PM.
Ainda de acordo com o Chefe do Governo, Cabo Verde está melhor, a pobreza está a diminuir e a qualidade de vida está em progresso. Há liberdade, há democracia.
Contudo, assume que a crise internacional já atingiu Cabo Verde, com forte impacto no sector do turismo e, particularmente, do imobiliário turístico, onde a generalidade das empresas vive situações difíceis. “O investimento directo estrangeiro acusou nos primeiros meses deste ano uma redução expressiva, a procura imobiliária externa está praticamente parada”, acrescenta Neves.
Mas Neves garante que já no ano passado o seu Governo alertara para a situação da crise internacional, com o anúncio da crise financeira, tendo tomado na altura algumas medidas pontuais e outras de fundo.
“Reduzimos de 5% a carga fiscal para as empresas: de 30 para 25% para as empresas tributadas segundo o método declarativo, de 20 para 15% para as pequenas empresas. Mais, fizemos retroagir esta medida a Janeiro de 2008 para que os benefícios para as empresas fossem imediatos”, aponta.
Para José Maria Neves a crise na economia cabo-verdiana “é-nos imposta do exterior. Ela é global e nenhum país no mundo e mormente Cabo Verde tem possibilidade de escapar aos seus efeitos. Cabo Verde é apanhado neste turbilhão”, sublinhou, para explicar a desaceleração da procura externa. Desde logo, “é natural que se tenha registado algum abrandamento da actividade económica no primeiro semestre deste ano, com particular incidência no turismo e na construção civil, com reflexos negativos a nível do emprego e também a nível das empresas”, concluiu o seu raciocínio.
Em relação à situação de crise profunda por que passam as empresas cabo-verdianas, principalmente as de construção civil e imobiliária turística, o PM mostra-se solidário, e advoga ter já tomado algumas medidas para atenuar a sua situação, como a criação de um Novo Banco de modo a facilitar o acesso das micro e das pequenas e médias ao financiamento.
No entender de José Maria Neves todos esses problemas podem ser ultrapassados com o engajamento das pessoas. Daí propor um pacto com a sociedade civil, com os municípios, com o sector privado e com os trabalhadores.
LIBERAL.CV

CV:JORGE SANTOS DIZ QUE CABO VERDE CAMINHA PARA UMA CRISE SEM PRECEDENTES

“A política económica deste governo está intimamente ligada ao seu profundo pensamento de base, ao seu ADN...
PRAIA- O presidente do MpD, Jorge Santos, considerou hoje que a governação do país não vai bem e que a Nação caminha para uma crise sem precedentes na sua história.
No seu discurso sobre o Estado da Nação, Jorge Santos traçou a crise e as suas consequências: aumento do desemprego, conquistas nos domínios sociais a recuar, agravamento das desigualdades sociais e dificuldades no acesso à saúde e à educação.
Para Jorge Santos, o mundo está a viver uma profunda crise financeira internacional que não pode ser ignorada. “Mas no caso de Cabo Verde, os seus efeitos são agravados porque ela veio aprofundar e reforçar as vulnerabilidades do país face a sucessivos erros desta governação”, adianta, dizendo que em vez de aproveitar a crise para qualificar o país, o governo utiliza a crise como desculpa para justificar os erros da sua falta de política económica e social.
“A política económica deste governo está intimamente ligada ao seu profundo pensamento de base, ao seu ADN”, ideológico diz Santos: “tudo pelo estado e contra o particular, tudo, pelo controlo e dependência das pessoas, das famílias e das empresas; tudo pelo Partido e pelas clientelas partidárias, contra a igualdade de oportunidades e de tratamento para todos”.
De acordo com o Presidente e deputado do MpD, o crescimento a dois dígitos e o desemprego a um dígito tornaram-se uma miragem porque o Governo não conseguiu diversificar a economia, criar o cluster do turismo e melhorar o ambiente de negócios para as empresas.
“O relatório do Banco Mundial “doing business” prova claramente que o governo não reforma, mas faz propaganda, não inova, mas repete processos sem solução adequada”, mas também que falhou nas reformas da Administração Pública, no sector da energia, na promoção das PME’s, na diversificação da economia do país, na estabilidade dos preços, falhou igualmente na reforma do mercado de trabalho e na politica fiscal.
No entender do líder ventoínha, a realidade económica é hoje extremamente difícil porque o Governo não preparou o país, nem o destino turístico Cabo Verde, para aproveitar as oportunidades em tempos de bonança e aguentar o choque em tempos de crise. Em vez de promover uma verdadeira política de turismo, de apoio às empresas, de formação e aproveitar as oportunidades, “portou-se como um especulador de terrenos”.
E no que diz respeito às empresas, o discurso é o mesmo. “Estamos a assistir neste momento a uma verdadeira caça às empresas. O governo tem criado dificuldades de tesouraria às empresas de uma forma irresponsável”, explica, “ao congelar as contas das empresas e dos empresários sem atender ao contraditório, tudo numa lógica de arrecadar receitas, em vez de promover a competitividade da economia”.
“A propalada redução dos impostos, por este Governo, é compensada com a taxa de manutenção rodoviária, as altas taxas de justiça, imposto de selo, os escandalosos custos dos actos notariais e outras taxas”, acrescenta Santos, explicando que é uma opção ideológica do Governo, que respeita mas com a qual não está de acordo. “Tudo é feito para que o Estado não perca e aumente receitas, mesmo que, para isso, empresas caiam em falência, despeçam trabalhadores e o tecido empresarial nacional morra”.
Ao terminar o seu discurso, Jorge Santos defendeu que “o Estado da Nação comprova que este é o Governo mais fraco que a memória do país regista, porque se trata de um Governo de expedientes, sem políticas e sem resultados”. E mais, que é “um Governo que navega à vista, sem rumo e sem visão estratégica. Um governo de mínimos”.
LIBERAL.CV

terça-feira, 28 de julho de 2009

USA:Hillary Clinton vai visitar Cabo Verde e Angola

Cabo Verde será o último dos sete países que a secretária de Estado norte-americana vai visitar entre 05 e 08 de Agosto, em que passará também por Angola.
Segundo a fonte oficial na Cidade da Praia, a deslocação de Hillary Clinton insere-se no âmbito de uma visita consagrada às relações bilaterais e regionais, com a participação, em Nairobi, Quénia, no Fórum sobre a Lei de Crescimento e Oportunidades para África (AGOA), medida implementada pelos Estados Unidos a 18 de Maio de 2000 como parte da Lei de Comércio e Desenvolvimento.
A AGOA possibilita a entrada isenta de taxas alfandegárias no mercado norte-americano de produtos provenientes de países africanos, que se encontrem em fase de implementação de uma economia de mercado livre e de reformas políticas democráticas, processo em que Cabo Verde está incluído.
Fontes da Embaixada dos Estados Unidos na Cidade da Praia e do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde não confirmaram, porém, a data precisa em que Hillary Clinton estará no arquipélago, adiantando, por um lado, que nada está ainda oficialmente definido e, por outro, por razões de segurança.
Um "mercado de oportunidades"
De Nairobi, a secretária de EStado segue sucessivamente para a África do Sul, Angola, República Democrática do Congo (RDC), Nigéria e Libéria, terminando a digressão em Cabo Verde, no quadro daquela que é a primeira visita ao continente africano desde que chegou à Administração Obama. Nigéria e Angola são os principais produtores de petróleo do continente africano.
Segundo um porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Clinton sublinhará, em cada um dos países a visitar, a importância do continente africano como um "mercado de oportunidades", assente na "ética e na responsabilidade".
Na digressão, Clinton vai igualmente realçar o empenho dos Estados Unidos em criar parcerias com os diferentes governos, com o sector privado e com organizações não governamentais e da sociedade civil para a criação de empresas, para que todos possam concretizar o seu potencial.
O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano adiantou também que, nos encontros oficiais bilaterais, a chefe da diplomacia dos Estados Unidos vai "encorajar" a procura de "novas soluções para velhos problemas", tendo como pano de fundo o poder da inovação e das novas tecnologias para criar as bases de um clima de estabilidade, desenvolvimento humano e crescimento económico sustentado.
Ainda nos encontros bilaterais, Hillary Clinton vai acentuar a necessidade de se impulsionarem no continente as regras da boa governação e de prevenção de conflitos e de actos violentos, incluindo a violência baseada no género, erosões democráticas e ameaças transnacionais, como o tráfico de droga, armas e pessoas.
Dia 21 deste mês, a vice-ministra das Relações Exteriores angolana, Exalgina Gambôa, indicou que Hillary Clinton visita Luanda depois da deslocação ao Quénia.
A deslocação da secretária de Estado norte-americana ocorre depois da visita do ministro das Relações Exteriores angolano, Assunção dos Anjos, em Maio, aos Estados Unidos, durante a qual manteve um encontro com Hillary Clinton e com altos funcionários da administração de Barack Obama.
Jornal de Noticias

segunda-feira, 27 de julho de 2009

CV:FOTO REPORTAGEM-ISAURA GOMES NA HOLANDA

Isaura Gomes Autarca do Mindelo esteve em Roterdão no dia 26 de Julho A PRESIDENTE DA CÂMARA DE SÃO VICENTE E SILVESTRE DA CRUZ DO MPD HOLANDA
FALANDO PARA A TELEVISÃO CABOVERDIANA NA HOLANDA
PLATEIA ESCUTA ATENTAMENTE O DISCURSO DA EDIL MINDELENSE
SALA LOTADA EM ROTERDÃO PARA OUVIR A AUTARCA DE SÃO VICENTE
ROTTERDAM-Isaura Gomes, presidente da Câmara Municipal de São Vicente, tem aproveitado as suas férias para fazer contacto em prol da edilidade mindelense. Neste sentido, já esteve em Portugal, Luxemburgo e Holanda.




CV:António Monteiro reeleito sem surpresas presidente do partido UciD

FOTO DE ARQUIVO:FAMILIA UCID REÚNIDA NA HOLANDA
Mindelo– António Monteiro foi na tarde de domingo naturalmente reeleito presidente da UCID, ao final do 15º congresso dos democratas-cristãos, que decorreu de 24 a 26 de Julho no Mindelo.
Cento e vinte e três dos 128 congressistas presentes no auditório da Academia Jotamonte votaram a favor das três listas para igual número de órgãos do partido, Comissão Política Nacional, Conselho Nacional e Conselho de Jurisdição Nacional, sendo que apenas um eleitor votou contra e quatro se abstiveram.
No início do seu primeiro discurso pós-reeleição para dirigir os destinos da UCID, António Monteiro jurou “ de pés juntos tudo fazer para que o partido continue a servir o povo das ilhas.
“Tudo está nas nossas mãos a partir de agora”, proclamou o reeleito presidente democrata-cristão, “podemos mostrar ao povo que somos capazes”, acrescentou.
Apesar de fortes críticas aos adversários, sobretudo ao PAICV, que está no poder, António Monteiro garantiu que não o move “nenhuma mágoa” em relação aos outros partidos, porque, de resto acrescentou, “todos somos poucos para fazer desenvolver o país”.
Cinte de que “fazer política em Cabo Verde não é tarefa fácil” e de que o país está no “a, b, c da democracia”, o líder da UCID pediu aos jovens que acabam de entrar para os órgãos dirigentes do partido para não se amedrontarem ou se inibirem com eventuais assédios vindos do campo adversário, porque o Estado é de direito democrático.
Num discurso de 25 minutos, várias vezes interrompido com ovações, António Monteiro considerou, aliviado: “a UCID sai deste congresso muito reforçado. Temos material humano. Tudo está nas mãos do partido neste momento”.
O dirigente partidário não se referiu explicitamente a eventuais coligações ou acordos políticos pós-eleitorais com outros partidos ou candidatos presidenciais, mas deixou claro que a UCID será “aliada incondicional do povo de Cabo Verde” e que no parlamento assumirá compromissos para solucionar problemas que o país enfrente.
Virando-se para o executivo, Monteiro desaconselhou o governo de José Maria Neves, que considera andar em “show off”, enquanto empresas fecham portas e famílias andam em crise, mas reconheceu, sob pena de cair na “cegueira intelectual”, que o país avançou desde 1975, ano da Independência.
A nova Comissão Política eleita reuniu-se de seguida para definir o calendário de trabalho que os diversos responsáveis de todo o país e da emigração deverão cumprir a partir de agora.
António Monteiro foi eleito, já pela segunda vez, presidente da UCID no congresso de 29 e 30 de Outubro de 2005.
Nas legislativas de 2006, igualmente pela primeira vez, chegou ao parlamento nacional, com seu colega Lídio Silva ao lado, como ele eleito deputado.
Reeleito agora presidente do seu partido, Monteiro garante que a UCID está mais forte e preparada para novas lutas e novas vitórias.
AT/Inforpress/Fim

domingo, 26 de julho de 2009

F1:GP Hungria - Campeão Hamilton volta às vitórias, erro força abandono de Alonso

LEWIS HAMILTON VENCEDOR EM BUDAPESTE-HUNGRIA
Budapeste- O britânico Lewis Hamilton, campeão em título, conseguiu hoje a primeira vitória da época no Mundial de Fórmula 1, ao triunfar no Grande Prémio da Hungria, 10.ª prova da temporada, marcada pela ausência de Felipe Massa.
O Grande Prémio ficou marcado pelo grave acidente sofrido sábado pelo brasileiro Felipe Massa, na sessão de qualificação, tendo sido hospitalizado em estado grave, e por Hamilton ter chegado finalmente ao pódio, o que não acontecia há 11 corridas.
O piloto da McLaren cortou a meta do circuito de Hungaroring, a 20 quilómetros de Budapeste, à frente do finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari) e do australiano Mark Webber (Red Bull), enquanto o espanhol Fernando Alonso, que tinha a "pole-position", abandonou devido a um erro da sua equipa.
Webber, segundo no mundial, atrás do britânico Jenson Button (Brawn-Mercedes), acabou por beneficiar da desistência do seu colega de equipa Sebastian Vettel, obrigado a abandonar devido a problemas no motor do seu monolugar.
Na corrida de hoje, o grande penalizado foi o piloto espanhol Fernando Alonso (Renault), que, depois de sair da "pole-position", teve que abandonar após a primeira troca de pneus, altura em que uma roda ficou mal fixada, vindo a soltar-se algumas voltas mais tarde.
O Mundial de Fórmula 1 continua a ser liderado pelo britânico Jenson Button (Brawn-Mercedes), que hoje foi sétimo classificado e ainda entrou na luta dos pontos (os oito primeiros pontuam).
Button tem agora 70 pontos na classificação geral, enquanto Mark Webber tem 51,5. Na terceira posição encontra-se o alemão Sebastian Vettel (Red Bull), com 47 pontos.
A pior nota deste Grande Prémio foi mesmo o acidente de Felipe Massa, no sábado, no qual chocou a grande velocidade contra uma barreira protectora, depois de ter sido atingido por uma parte da suspensão do carro do seu compatriota Rubens Barrichello e perdido os sentidos.
Massa foi ainda sábado operado a múltiplas fracturas cranianas e encontra-se em coma induzido.
De acordo com o director clínico do hospital AEK, em Budapeste, existe a necessidade de "ultrapassar a situação de risco de vida", depois de Massa ter chegado ao hospital com uma fractura de crânio aberta e uma contusão.
RPM/Lusa/fim

TOUR:ALBERTO CONTADOR GANHA PELA SEGUNDA VEZ

ALBERTO CONTADOR
PARIS-Na derradeira etapa do Tour-2009, Mark Cavendish voltou a ser o mais rápido, vencendo confortavelmente nos últimos metros da corrida. Para Contador, dia de champanhe.Alberto Contador, de 26 anos, repete assim o triunfo de 2007, desta vez com 4.11 minutos de avanço para o luxemburguês Andy Schleck (Saxo) e 5.24 para o norte-americano Lance Armstrong, colega de equipa, e vencedor do Tour por sete vezes consecutivas (1999/2005). Contador vestiu a amarela na etapa 15, quando venceu na chegada a Verbier. A Astana vence também colectivamente, pelo que Sérgio Paulinho também foi ao pódio. Quanto à etapa, começou como sempre a rolar tranquilamente, com a equipa Astana, onde rola Sérgio Paulinho, a festejar com champanhe o triunfo de Contador. Mas havia mais uma etapa a vencer no final de 167 kms, por isso a Columbia lançou de novo Mark Cavendish, solto nos metros finais por Mark Renshaw. Vitória sem problemas, depois de ter triunfado também na etapa de sexta-feira. O norueguês Thor Hushovd, venceu a camisola verde, que premeia a regularidade, a camisola da montanha ficou com o italiano Franco Pellizotti.
Classificações finais:Geral: Alberto Contador (ESP/Astana)
Montanha: Franco Pellizotti (ITA/Liquigas)
Pontos: Thor Hushovd (NOR/Cervélo)
Juventude: Andy Schleck (LUX/CSC) Equipas: Astana Combatividade: Franco Pellizotti
ABOLA.PT

F1:Felipe Massa em coma induzido

BUDAPESTE-Após sofrer um grave acidente neste sábado, durante os treinos de classificação para o GP da Hungria, o brasileiro Felipe Massa submeteu-se a uma cirurgia no Hospital Militar de Budapeste. Em coma induzido e respirando através de aparelhos, ele vai ser reavaliado na manhã deste domingo, quando será submetido a uma tomografia. O boletim médico informou que o piloto da Ferrari teve fraturas no crânio e uma pequena lesão no cérebro. De acordo com o comunicado divulgado pela Ferrari, o exame médico mostrou, além do corte na testa, com cerca de oito centímetros, uma lesão na parte esquerda do crânio e uma concussão cerebral. A nota informou que a cirurgia foi bem-sucedida, mas o brasileiro passará a noite de sábado em observação na Unidade de Terapia Intensiva. A Ferrari confirmou que o piloto está fora do GP da Hungria. Segundo o médico oficial do GP do Brasil, Dino Altmann, é possível que Massa fique até seis semanas parado.
O capacete do piloto brasileiro foi atingido por uma mola de cerca de 12 centímetros, feita de metal, que se soltou do carro de Rubens Barrichello. A peça bateu na pista e acertou o capacete de Massa quando ele acelerava a aproximadamente 280km/h.
Fonte:Globoesporte.com

HOLANDA:AZ DE MENDES DA SILVA VENCE SUPERTAÇA

Supertaça da Holanda,baptizado com o nome do lendário futebolista Johan Cruijff
AMSTERDAM-O AZ Alkmaar conquistou este sábado, no "Amsterdam arena",perante 25 mil espectadores, a Supertaça depois de golear (5-1) o Heerenveen, jogo que marcou a estreia oficial de Ronald Koeman no comando técnico dos campeões holandeses.A equipa orientada pelo ex-treinador do Benfica, que sucedeu a Van Gaal que rumou ao Bayern, chegou ao intervalo a vencer por 3-0 com golos de Holman (16m), Hamdaoui (24) e Martens (28). Papadopoulos (60) ainda reduziu na segunda parte, mas Lens (67 e 87) fixou o resultado final da favor do Alkmaar.
Mendes da Silva holandês de origem caboverdiana jogou os 90 minutos exibindo num bom plano.
AS DUAS EQUIPAS ALINHARAM DA SEGUINTE FORMA:
Heerenveen: Kenny Steppe, Daryl Janmaat, Michel Breuer, Igor Djuric (71. Kristian Bak Nielsen), Goran Popov, Michal Svec, Christian Grindheim (62. Bonaventura Kalou), Viktor Elm, Roy Beerens, Gerald Sibon, Michal Papadopoulos (62. Paulo Henrique).
AZ: Sergio Romero (87. Joey Didulica), Kew Jaliens, Niklas Moisander, Héctor Moreno, Sébastien Pocognoli, Brett Holman (66. Moussa Dembélé), David Mendes da Silva, Stijn Schaars, Maarten Martens, Mounir El Hamdaoui (82. Nick van der Velden), Jeremain Lens.
Com Abola.pt

sábado, 25 de julho de 2009

USA:"O núcleo duro de Obama" por Germano Almeida

Há vários segredos no sucesso de Barack Obama. Mas um dos mais bem guardados tem a ver com a forma como o Presidente dos EUA soube montar um núcleo duro curto, mas muito estável e muito fiel. David Axelrod, 54 anos, é o fiel escudeiro de Barack Obama. O Presidente e o chefe de conselheiros políticos da Casa Branca mantêm, há quase duas décadas, uma relação de total confiança – algo raro nas curvas e contracurvas do meio político americano. À primeira vista, parecem D. Quixote e Sancho Pança: Barack é alto, elegante e fala soberbamente. Ax, como lhe chama o Presidente, tem uns quilos a mais, usa bigode (o que está nitidamente em desuso) e, não raras vezes, perde a paciência perante a pressão dos repórteres.Mas juntos protagonizaram a mais notável caminhada de que há memória numa campanha política: como principal conselheiro de Obama, Axelrod ajudou Barack a nunca perder o rumo.Jovem prodígio do jornalismo político do Illinois (aos 26 anos tinha uma coluna no Chicago Tribune), Axelrod revelou o jeito para aconselhar políticos quando trabalhou para Paul Simon, antigo senador -- já falecido -- que Obama aponta, no livro «A Audácia da Esperança, como um dos exemplos que quis seguir.O início da relação improvável entre o judeu Axelrod e o negro Obama começou em 1992. Por essa altura, Barack iniciava-se nos difíceis meandros da política de Chicago, quando David era já uma referência no mainstream do Illinois. Quem intermediou o encontro foi Betty Lu Saltzmann, uma liberal de Chicago conhecida por financiar, de forma generosa, os democratas.Os anos passaram e só mais tarde os caminhos de Barack e Ax se voltariam a cruzar. A experiência de David em campanhas presidenciais teve importante teste em 2004, quando foi um dos organizadores da candidatura de John Edwards.Quando Obama lhe pediu para ser o braço direito na condução política da campanha de 2008, Dave tinha já enorme experiência de spin, conhecendo por dentro os trunfos usados pelos dois principais adversários de Barack: Edwards, claro, mas sobretudo Hillary, para quem também colaborara no passado.Plouffe, o mago da estratégia Axelrod é a relação mais duradoura, mas o núcleo duro de Barack contém outros casos que merecem relevo.Um deles é, sem dúvida, David Plouffe. Este jovem estratega do Partido Democrata pode reivindicar a autoria de uma táctica muito bem-sucedida. A fifty state strategy tem um princípio que parece básico: num país tão grande e diverso como os EUA, é fundamental que um candidato que aspire a chegar à Presidência seja forte em todas as zonas da América.Sucede que, nas últimas décadas, o paradigma dos democratas tem sido o de quase relegar as zonas mais conservadoras (sobretudo no Sul), apostando forte nas costas (onde há um eleitorado mais cosmopolita) e nos swing states. A chave que Plouffe ofereceu a Obama foi a de mostrar que valia a pena distribuir as fichas por todo o país – e só assim foi possível para Obama vencer Hillary nos estados mais conservadores, lançando as bases para as notáveis vitórias em estados como a Virgínia (onde um democrata não vencia há 44 anos), a Carolina do Norte ou o Indiana, no duelo com McCain.Valerie Jarrett e o eterno Gibbs.Mas há mais indispensáveis no inner circle de Barack: Valerie Jarrett, advogada de Chicago que contratou Michelle para o gabinete do mayor Richard Daley, é amiga do casal Obama há mais de 20 anos e ocupa, na Casa Branca, o cargo de conselheira sénior do Presidente.Robert Gibbs, 38 anos, é o porta-voz da Casa Branca. Trabalha para Obama desde 2004, depois de ter assumido cargo idêntico na campanha presidencial de John Kerry.
POR GERMANO ALMEIDA-JORNALISTA DO ABOLA

CV:Rui Semedo considera humilhante derrota frente a Felisberto Vieira

Praia– O líder parlamentar e deputado do PAICV, Rui Semedo considerou humilhantes os resultados das eleições, realizadas no passado fim-de-semana, para a liderança da Região Política de Santiago Sul do PAICV.
“(…) Perdi de forma expressiva as eleições. Eu acho até que os resultados foram de certa forma humilhantes”, desabafou, sexta-feira, 24, Rui Semedo, quando foi incitado a se pronunciar, durante uma conferência de imprensa a propósito das jornadas parlamentares de preparação para o debate do Estado de Nação programado para a sessão que se inicia na segunda-feira.
Explicou que apesar da derrota, respeita “perfeitamente” os resultados das referidas eleições que, no seu entender, revelam a expressão da democracia interna e da vontade dos militantes do partido e, por isso, não há como não os respeitar.
Por outro lado, admitiu que face à sua derrota perante o seu colega do partido, Felisberto Vieira, vai actuar no sentido de granjear mais confiança dos militantes “tambarinas”.
“A primeira consequência que eu tirei é que vou ter que continuar a trabalhar mais para merecer mais confiança dos militantes”, avaliou.
Rui Semedo conseguiu 1.194 votos (correspondente a 21.82 %) e o candidato que venceu o cargo de presidente da Comissão Política Regional do PAICV, Felisberto Vieira, obteve 4.251 votos (correspondente a 77.67%).
IF /Inforpress/Fim.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

CV:PAICV E MPD RETOMAM A DISCUSSÃO SOBRE A REVISÃO CONSTITUCIONAL

Praia–O Processo de Revisão Constitucional, que estava em curso e que foi suspenso, desde 25 de Junho passado, por falta de consenso entre os deputados do PAICV (Partido no poder) e do MPD (partido da oposição) sobre alguns pontos polémicos concernentes às propostas em análise foi retomado, a partir desta quarta-feira, 22, devendo a Comissão Eventual de Revisão Constitucional ter todo o processo concluído até 4 de Agosto.
Esta informação foi avançada hoje à Inforpress, em primeira-mão, pelo Presidente da Comissão Eventual da Revisão Constitucional, José Manuel Andrade.
Segundo José Manuel Andrade, a decisão de se retomar esse processo de revisão da Carta Magna nacional saiu de uma reunião entre os deputados que compõem a Comissão Eventual de Revisão Constitucional, realizada, ontem, 21 de Julho.
Nesse encontro, os deputados que representam as duas as duas partes políticas (do PAICV e MPD) se comprometeram a prosseguir com os trabalhos de revisão, o que ditou imediatamente a retoma do processo.
José Manuel Andrade diz que agora todos os esforços vão ser feitos para que os trabalhos sejam concluídos até 4 de Agosto próximo, data limite que a Comissão tem para apresentar uma proposta definitiva.
De ora em diante, os deputados vão trabalhar no sentido de se consensualizar as posições em relação aos principais pontos polémicos que estavam em análise e que acabaram por ditar a suspensão do processo no final de Junho passado.
A oficialização da língua cabo-verdiana, a extradição de cidadãos nacionais, a adesão ao Tratado de Roma para viabilizar o Tribunal Penal Internacional, as buscas domiciliárias nocturnas, a reformulação do parecer do Presidente da República para dissolução do Parlamento, os impostos e o sistema fiscal, a reforma da Justiça e a demissão do Governo mediante moção de censura, são os principais pontos de discórdia sobre a Revisão Constitucional entre os deputados do PAICV e MPD que vão continuar sob a mesa em análise.
Querendo averiguar as implicações económicas que a suspensão da Revisão Constitucional poderá ter representado para o Estado, a Inforpress quis saber junto dos responsáveis implicados nesse processo sobre o montante gasto no âmbito dessa revisão. Mas esses informaram que não houve um montante disponibilizado para esse processo.
Segundo explicação do Presidente da Comissão Eventual da Revisão Constitucional “todo o trabalho é feito sem qualquer verba acrescida e no âmbito do engajamento e do cumprimento das funções que cabem aos deputados nacionais”.
De lembrar que o processo de Revisão Constitucional foi iniciado desde Fevereiro de 2009, com a criação da Comissão Eventual de Revisão Constitucional para apreciar e discutir os três projectos de revisão da Constituição apresentados pelos deputados do PAICV e do MPD e pelo deputado Humberto Cardoso que, embora sendo do MPD, apresentou uma outra proposta.
José Manuel Andrade, Armindo Maurício, David Hopffer Almada, Filomena Martins, Libéria Brito, Joanilda Alves e Hermes Silva dos Santos, do PAICV, e Joana Gomes Rosa, Mário Silva, Eurico Monteiro, Orlando Dias, Miguel da Cruz Sousa, do MPD, e o deputado indicado da UCID, Lídio Silva, são os membros que compõem a actual Comissão Eventual de Revisão Constitucional.
INFORPRESS

PORTUGAL:Advogado de Oliveira e Costa prevê dezenas de arguidos

lisboa-O advogado de José de Oliveira e Costa, que está agora em prisão domiciliária com pulseira electrónica, afirma estar "perfeitamente convencido" de que o processo BPN vai ter "dezenas de arguidos". Leonel Gaspar mostra-se ainda convicto de que o antigo presidente da instituição "não virá a ser pronunciado por ter roubado um tostão ao banco, ao grupo ou a quem quer que seja".

O antigo presidente do banco da Sociedade Lusa de Negócios deixou as instalações do Estabelecimento Prisional anexo à Polícia Judiciária, em Lisboa, perto das 21h00 de quinta-feira. Em prisão preventiva desde 21 de Novembro de 2008, José de Oliveira e Costa seguiu para casa a bordo de uma carrinha celular.
A medida de coacção do antigo gestor foi alterada na terça-feira pelo juiz Carlos Alexandre, do Tribunal Central de Instrução Criminal, na sequência de um requerimento da defesa a que o Ministério Público não se opôs.
Concretizada a transferência de Oliveira e Costa, após a recepção do relatório da Direcção-Geral de Reinserção Social, entidade responsável pela vigilância de arguidos com pulseira electrónica, o advogado do antigo presidente do banco da Sociedade Lusa de Negócios falou aos jornalistas para manifestar a convicção de que o seu constituinte nunca roubou "um tostão", embora tenha cometido irregularidades. Disse também acreditar que haverá "restituição total de liberdade plena".
Oliveira e Costa "sente conforto moral"
"Aquilo que a ele lhe dá muita felicidade e a mim, enquanto advogado, é que efectivamente não está indiciado, nem virá a ser acusado, nem virá a ser pronunciado por ter roubado um tostão ao banco, ao grupo ou a quem quer que seja", afirmou à RTP o advogado de Oliveira e Costa.
No entender de Leonel Gaspar, "não há nenhum vestígio no processo que leve a essa conclusão": "O homem sente o conforto moral de ser um homem sério, um homem honesto, um homem que trabalhou. Evidentemente que há algumas irregularidades, é um facto. Mas o homem nunca furtou nada a ninguém".
O advogado diz-se "perfeitamente convencido de que vamos ter dezenas de arguidos".
Arlindo de Carvalho proibido de contactar antigos administradores
O mesmo juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal decidiu, na quarta-feira, proibir o antigo ministro da Saúde Arlindo de Carvalho e o empresário José Neto, ambos arguidos no processo do BPN, de manterem contactos com figuras que fizeram parte da administração do banco.
No mesmo dia, à saída do Tribunal, o advogado de Arlindo de Carvalho e de José Neto classificava como "perfeitamente compreensível" a decisão do juiz Carlos Alexandre, sublinhando que não se tratava de uma medida de coacção, antes de uma proibição que "se baseou na perspectiva de não ser perturbado o normal desenrolar do inquérito". João Nabais dizia, então, ser "importante que as pessoas que sejam arguidas neste processo, ou noutros processos conexos, não tenham entre si contactos nem comunicações".
Arlindo de Carvalho, José Neto e outro administrador da sociedade de exploração imobiliária Pousa Flores, à qual o antigo ministro da Saúde de Cavaco Silva está ligado, são os mais recentes arguidos do processo do Banco Português de Negócios. Os demais arguidos conhecidos são Oliveira e Costa, Coelho Martinho, antigo administrador do BPN, e Dias Loureiro, antigo conselheiro de Estado que integrou a administração da Sociedade Lusa de Negócios.
Operação da Pousa Flores
Notícias recentes revelaram que a sociedade Pousa Flores terá adquirido, entre 2005 e 2007, activos no valor de 75 milhões de euros ao grupo Ricardo Oliveira, com recurso a crédito outorgado pelo BPN. No quadro do negócio, que terá acarretado prejuízos financeiros, o banco da Sociedade Lusa de Negócios assumia o compromisso da compra dos activos.
A investigação está a cargo do Departamento Central de Investigação e Acção Penal, tutelado pela procuradora-geral adjunta Cândida Almeida.
Depois de ter sido detectado um rombo de 700 milhões de euros, que terá sido ocultado ao Banco de Portugal através do Banco Insular de Cabo Verde, a Assembleia da República aprovava, a 5 de Novembro de 2008, a nacionalização do Banco Português de Negócios, por proposta do Governo de José Sócrates. O processo de nacionalização foi escrutinado no âmbito de uma comissão de inquérito parlamentar, onde os deputados da Oposição responsabilizaram o governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, por falhas de supervisão.
RTP.PT

quinta-feira, 23 de julho de 2009

CV:MpD disponível para sessão extraordinária da AM, mas só para discutir problemas reais

MINDELO-CABO VERDE
Mindelo– A Comissão Política Regional do MpD-São Vicente afirmou dia 20 no Mindelo que “está e estará disponível” para viabilizar todas as sessões extraordinárias da Assembleia Municipal, mas para discutir apenas os “problemas reais” dos munícipes.
Esta é a reacção do MpD à insistência do grupo político do PAICV na AM para que este órgão deliberativo se reúna extraordinariamente para interpelar a Câmara Municipal sobre eventuais práticas de corrupção na venda de terrenos municipais.
O MpD dá razão ao presidente da AM, João Gomes, que em despacho de 10 de Julho considerou não existirem razões para urgência no pedido do PAICV, tanto mais que, alega, as denúncias remontam ao período da campanha para as eleições municipais de 18 de Maio de 2008.
Em comunicado lido aos jornalistas, sem direito a perguntas, a Comissão Política Regional do MpD acusa os deputados autárquicos do PAICV de “ofuscar a opinião pública na tentativa de encobrir mais este golpe desferido a São Vicente” que é a não abertura do aeroporto internacional de São Pedro, provocando o “adiamento da dinamização dos negócios e da economia” da ilha.
INFORPRESS

CV:Felisberto Vieira vence eleição para dirigir o PAICV em Santiago Sul

Praia– O candidato a líder da região de Santiago Sul, Felisberto Vieira foi eleito no escrutínio realizado dia 19 de julho, por maioria qualificada dos militantes do PAICV e é agora o presidente da Comissão Política Regional do partido.
Quando estavam apurados os resultados de 90% das 77 mesas de Assembleias de Voto, Filú já tinha atingido a cifra de 83% dos votos validamente expressos, contra os cerca de 17% obtidos pelo seu rival Rui Semedo.
Felisberto Vieira, em conversa com Inforpress promete fazer bom “trabalho” para continuar a merecer a confiança depositada nele pelos militantes de Santiago Sul para que o PAICV possa vencer os desafios eleitorais das legislativas 2011/12.
“Quero, agradecer a todos os militantes da Região de Santiago Sul pela confiança em mim depositada e pela forma serena, cívica e responsável como participaram nessas eleições. Prometo trabalhar em diálogo permanente com todos e para todos, para que o PAICV possa vencer os desafios eleitorais de 2011/12”, garante Felisberto Vieira.
Frente aos resultados, Rui Semedo diz respeitar a opção dos militantes e garante que vai cumprir com o seu mandato de dirigente e líder parlamentar do partido até ao fim.
Segundo Semedo a vitória de Filú é bastante expressiva e representa a vontade da maioria esmagadora dos militantes da sua região política.
Inforpress

CV:MpD acusa Governo de desresponsabilização à volta da fábrica de pozolana

CIDADE DO PORTO NOVO-S.ANTÃO CABO VERDE
Porto Novo– O Deputado do Movimento para a Democracia (MpD), pelo Círculo do Porto Novo, Joel Barros, acusou hoje o Governo de “desresponsabilização clara”, em relação à situação da fábrica de pozolana de Santo Antão.
Joel Barros informou que, na sequência de uma intervenção feita por ele no Parlamento, a propósito dessa fábrica, que passa por dificuldades decorrentes da conjuntura internacional, o Governo prometera elaborar um estudo para apurar a situação dessa unidade, que fica em Fundo, interior do Porto Novo.
De acordo com aquele parlamentar, até hoje nada foi feito, pelo que volta a alertar ao executivo cabo-verdiano no sentido de conhecer a real situação da fábrica e tomar as medidas adequadas no sentido da sua efectiva recuperação e, consequentemente, salvar os postos de trabalho.
Joel Barros disse ainda ter dados de que a empresa Cabocem, proprietária da fábrica, instalada em 2005, transportou para a ilha do Sal, nos últimos tempos, cerca de 490 mil quilos de pozolana bruta, o que contraria a convenção assinada em 2004, entre o Governo e essa empresa.
A convenção, que estabelece as normas de exploração da pozolana de Santo Antão, obriga a que esse produto seja explorado e transformado nessa ilha.
Já em Fevereiro deste ano, a Câmara Municipal do Porto Novo tinha alertado ao Ministério da Economia e Competitividade para essa situação de que a Cabocem estaria a levar a pozolana bruta para o Sal, onde seria transportada e comercializada.
O deputado do MpD pelo Círculo do Porto Novo mostra-se também preocupado com o facto de muitos trabalhadores terem sido já despedidos, como consequência da situação da fábrica, com capacidade para produzir, por ano, 150 mil toneladas de cimento pozolânico.
Porém, uma fonte da Cabocem assegurou à Inforpress que, nos últimos meses, a empresa tem estado a implementar um plano de recuperação dessa fábrica, cujos resultados deixam satisfeita a administração da empresa.
INFORPRESS

CV:Processo de Revisão Constitucional já foi retomado

PALACIO DA ASSEMBLEIA NACIONAL-PRAIA CABO VERDE
Praia – O Processo de Revisão Constitucional, que estava em curso e que foi suspenso, desde 25 de Junho passado, por falta de consenso entre os deputados do PAICV (Partido no poder) e do MPD (partido da oposição) sobre alguns pontos polémicos concernentes às propostas em análise foi retomado, a partir de quarta-feira, 22, devendo a Comissão Eventual de Revisão Constitucional ter todo o processo concluído até 4 de Agosto.
Esta informação foi avançada à Inforpress, em primeira-mão, pelo Presidente da Comissão Eventual da Revisão Constitucional, José Manuel Andrade.
Segundo José Manuel Andrade, a decisão de se retomar esse processo de revisão da Carta Magna nacional saiu de uma reunião entre os deputados que compõem a Comissão Eventual de Revisão Constitucional, realizada, á 21 de Julho.
Nesse encontro, os deputados que representam as duas as duas partes políticas (do PAICV e MPD) se comprometeram a prosseguir com os trabalhos de revisão, o que ditou imediatamente a retoma do processo.
José Manuel Andrade diz que agora todos os esforços vão ser feitos para que os trabalhos sejam concluídos até 4 de Agosto próximo, data limite que a Comissão tem para apresentar uma proposta definitiva.
De ora em diante, os deputados vão trabalhar no sentido de se consensualizar as posições em relação aos principais pontos polémicos que estavam em análise e que acabaram por ditar a suspensão do processo no final de Junho passado.
A oficialização da língua cabo-verdiana, a extradição de cidadãos nacionais, a adesão ao Tratado de Roma para viabilizar o Tribunal Penal Internacional, as buscas domiciliárias nocturnas, a reformulação do parecer do Presidente da República para dissolução do Parlamento, os impostos e o sistema fiscal, a reforma da Justiça e a demissão do Governo mediante moção de censura, são os principais pontos de discórdia sobre a Revisão Constitucional entre os deputados do PAICV e MPD que vão continuar sob a mesa em análise.
Querendo averiguar as implicações económicas que a suspensão da Revisão Constitucional poderá ter representado para o Estado, a Inforpress quis saber junto dos responsáveis implicados nesse processo sobre o montante gasto no âmbito dessa revisão. Mas esses informaram que não houve um montante disponibilizado para esse processo.
Segundo explicação do Presidente da Comissão Eventual da Revisão Constitucional “todo o trabalho é feito sem qualquer verba acrescida e no âmbito do engajamento e do cumprimento das funções que cabem aos deputados nacionais”.
De lembrar que o processo de Revisão Constitucional foi iniciado desde Fevereiro de 2009, com a criação da Comissão Eventual de Revisão Constitucional para apreciar e discutir os três projectos de revisão da Constituição apresentados pelos deputados do PAICV e do MPD e pelo deputado Humberto Cardoso que, embora sendo do MPD, apresentou uma outra proposta.
José Manuel Andrade, Armindo Maurício, David Hopffer Almada, Filomena Martins, Libéria Brito, Joanilda Alves e Hermes Silva dos Santos, do PAICV, e Joana Gomes Rosa, Mário Silva, Eurico Monteiro, Orlando Dias, Miguel da Cruz Sousa, do MPD, e o deputado indicado da UCID, Lídio Silva, são os membros que compõem a actual Comissão Eventual de Revisão Constitucional.
INFORPRESS

quarta-feira, 22 de julho de 2009

CV:Cabo Verde em destaque na Festa da Cerâmica de Caldas da Rainha

BATUCADEIRAS DA ILHA DE SANTIAGO
CALDAS DA RAINHA-A cultura cabo-verdiana vai marcar, quinta-feira, o arranque da Festa da Cerâmica, evento com que a autarquia das Caldas da Rainha pretende vincar a importância desta actividade a nível nacional e internacional.A iniciativa "pretende criar uma centralidade da cerâmica na vida das Caldas" e "simultaneamente criar um dinamismo que projecte esta actividade a nível nacional e internacional", explica o comissário da Festa, João Bonifácio Serra.
Depois de há dois anos Espanha ter marcado a vertente da internacionalização, este ano a Festa dedica o primeiro dia a Cabo Verde com a realização de oficinas de etno-cerâmica, batuco e culinária tradicional de Santiago.
A cultura cabo-verdiana estará ainda em foco num jantar temático com gastronomia e música daquele país e numa exposição de Virgínia Fróis (resultado de uma residência artística em Trás-di Munti).
A internacionalização do evento estende-se também a França, com a integração no programa de uma exposição de cerâmica contemporânea de três ceramistas da Bretanha.
De entre os eventos que irão ter lugar até dia 26, João Bonifácio Serra destaca o lançamento de um "Roteiro Turístico de Cerâmica nas Caldas da Rainha", elaborado no âmbito de um curso técnico de turismo da Escola Secundária Bordalo Pinheiro, em parceria com o Cencal (Centro de Formação para a Cerâmica).
Para além dos museus e espaços públicos, o projecto irá integrar ateliers de artistas e restaurantes com obras cerâmicas, adianta o professor António Xavier sobre o roteiro que "será o primeiro passo para a criação de um site" e de um roteiro "digital que no futuro será alargado a Alcobaça e Óbidos".
A exposição e venda de cerâmica contemporânea de autor será uma das vertentes diárias do evento marcado também pela realização, no Cencal, de ateliers profissionais ligados à cerâmica tradicional portuguesa e pelas jornadas com o escultor catalão Claudi Casanovas.
A Festa da Cerâmica contou este ano com um investimento da autarquia na ordem dos 50 mil euros e tem como parceiros a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, Cencal, Museu da Cerâmica, Escola Superior de Artes e Design, Faianças Bordalo Pinheiro, Centro Hospitalar de Caldas da Rainha, Colectivo três Cês e Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro.
Oje/Lusa

HOLANDA:EMPRESÁRIO HOLANDÊS TRANSFORMA AVIÃO USADO NA SEGUNDA GUERRA EM HOTEL

AVIÃO DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL TRANSFORMADO EM HOTEL
SUITE NO HOTEL AVIÃO
O EMPRESÁRIO HOLANDÊS BEN THIJSSEN
HONECKER HOTEL EM AMSTERDÃO CAPITAL HOLANDESA
AMSTERDÃO-Na Holanda, um avião antigo de quatro motores foi transformado em um hotel de luxo, com sauna, bar, cozinha, televisões de LCD e internet sem fio. Tudo isso sem sair do chão. O jato, de 1960, está estacionado próximo do aeroporto de Teuge, a leste de Amsterdão, e lá permanece durante a estada dos hóspedes, que podem ver outras aeronaves pousar e decolar.
Uma noite na suíte do Honecker Hotel – que tem 40 metros – custa 350 euros para duas pessoas. Além de dormir confortavelmente dentro de um avião, os hóspedes “respiram” história. O avião foi usado pelo oficial alemão Erich Honecker durante o período da Guerra Fria e viajou a Cuba, Rússia, China e Vietnã antes de parar de voar, em 1988.
O empresário holandês Ben Thijssen, dono do hotel, descobriu o avião na localidade de Harbke, na Alemanha. Ele pagou 25 mil euros pela aeronave e gastou cerca de 450 mil euros para transformar o avião em hotel.
Com Globo.com

terça-feira, 21 de julho de 2009

CPLP:Organização já superou limite da maturidade, defende chefe da diplomacia de Angola

Foto da internet:Assunção dos Anjos aqui com Hillary Clinton
Cidade da Praia -A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) já superou o limite da maturidade, com estruturas sólidas e objectivos fortes, disse hoje à Agencia Lusa o ministro das Relações Exteriores de Angola.
Assunção dos Anjos, que participou segunda-feira no Conselho de Ministros da CPLP, realizado na Cidade da Praia, considerou a comunidade lusófona "já não é aquela organização que se baseia apenas na Língua Portuguesa.
"A CPLP é uma realidade, com estruturas sólidas e objectivos bastante fortes, que já não é aquela comunidade só baseada na língua. Coopera num sentido extremamente positivo e isso ficou patente nas discussões em torno dos efeitos da crise económica mundial nos nossos países", afirmou o chefe da diplomacia angolana que, a partir de 2010, assegurará a presidência do Conselho de Ministros da organização.
Para Assunção dos Anjos, no Conselho de Ministros de segunda-feira, ao analisar-se a questão dos efeitos da crise, reparou-se que a CPLP pode ajudar na busca de soluções "de uma forma ambivalente".
"Primeiro, porque cooperamos e interagimos para minorarmos os efeitos da crise nas nossas economias, associações e sociedades. Depois, porque, de uma maneira assertiva, a CPLP contribui para encontrar soluções para combater o flagelo que se abateu sobre as nossas sociedades", sustentou.
"Numa perspectiva planetária de afirmação e da Língua Portuguesa, há também essa postura de a CPLP reivindicar essa possibilidade e de dar a sua quota-parte, a sua contribuição para a resolução de problemas globais", acrescentou.
Questionado pela Lusa sobre o que Angola pensa fazer quando assumir a presidência da CPLP, nomeadamente em relação ao Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP), com sede na Cidade da Praia, Assunção dos Anjos recusou individualizar a questão, sublinhando tratar-se de um tema que diz respeito aos "oito" Estados membros da organização.
"Angola pode fazer o quê? O IILP e uma instituição de que fazem parte todos os oito Estados membros. Angola tem ocasionalmente a presidência do IILP (a linguista Amélia Mingas). Mas há um grupo de trabalho que está a estudar a questão e que vai proceder a uma análise das mudanças estruturais de que a instituição necessita", respondeu.
Assunção do Anjos referiu-se também à participação de Angola e do Brasil na cimeira do G8, realizada em Aquila (Itália), mas somente para adiantar que a experiência dessa presença naquela reunião foi explicada aos Estados membros da CPLP, uma vez que o assunto foi basicamente o mesmo, ou seja, os efeitos da crise económica mundial.
JSD/Lusa/fim

NATO:Secretário-geral da NATO sofre trombose arterial e está hospitalizado

O HOLANDÊS JAAP HOOP SCHEFFER
BRUXELAS-O secretário-geral da Aliança Atlântica, Jaap de Hoop Scheffer foi internado hoje em Bruxelas na sequência de um acidente arterial, mas está livre de perigo, de acordo com fontes médicas citadas pela agência AFP.O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros holandês, de 61 anos, participava numa sessão comemorativa dos 60 anos da NATO, na capital belga, quando se sentiu mal, acabando por ser hospitalizado.“O secretário-geral foi conduzido ao hospital onde os médicos lhe desobstruíram uma artéria”, disse o porta-voz da NATO, James Appathurai.Jaap de Hoop Scheffer, que está em fim de mandato e será substituído em Agosto pelo dinamarquês Anders Fogh Rasmussen, vai ficar hospitalizado durante alguns dias, acrescentou a mesma fonte.
PÚBLICO.PT

USA:Empregada doméstica trabalha em topless ou nua

WENDY RACQUET A EMPREGADA DOMÉSTICA ORIGINAL
BOSTON-Uma norte-americana idealizou um serviço de limpezas domésticas, no mínimo, insólito. Wendy realiza as tarefas sem roupa e os seus clientes parecem satisfeitos. "Quer nua ou em topless?", é a primeira pergunta que Wendy Racquet faz aos seus clientes quando efectua limpezas ao domicílio. A norte-americana é empregada doméstica e criou a "Naughty Housemaids", onde faz serviço de limpezas sem roupa.
A norte-americana, com dois filhos, é empregada doméstica há três anos e confessa sempre ter sido "um pouco exibicionista". Os seus clientes é que parecem não se queixar. É que Wendy executa as limpezas com luvas, mas sem peças de roupa no seu corpo.
A empregada doméstica não se importa que os clientes olhem para si enquanto trabalha, desde que não lhe toquem. Wendy é contratada por homens, mas também por casais e mulheres. "Acho que é por ser novidade", afirma ao canal de televisão Fox.
Wendy começa as tarefas pela cozinha, mas o pedido favorito dos clientes é a limpeza da banheira. A empregada cobra os seus serviços por metro quadrado e, antes da crise financeira, limpava seis casas por dia.

Fonte:Myfozboston/Expresso.pt

segunda-feira, 20 de julho de 2009

FUTEBOL:PEACE CUP 2009 EM ANDALUZIA E MADRID

DESPORTO REI-A partir da próxima sexta-feira(24), as atenções dos amantes do desporto rei de todo o mundo estarão voltadas para a Espanha. De 24 de julho a 2 de agosto, 12 grandes clubes de quatro continentes participarão da "IV Peace Cup", a Copa da Paz. Entre uma das atrações do torneio está o Real Madrid, que possivelmente promoverá na competição a estreia oficial de Kaká. Ao contrário das edições anteriores, que foram realizadas na Coreia do Sul, a deste ano terá seus jogos sendo disputados em quatro cidades da província espanhola da Andaluzia (Sevilha, Málaga, Huelva e Jerez), e ainda na capital do país, Madrid. Além do Real, Juventus (Itália), Lyon (França), Aston Villa (Inglaterra), Besiktas (Turquia), Porto (Portugal), LDU Quito (Equador), Atlante (México), Al-Ittihad (Arábia Saudita), Seongnam Ilhwa (Coreia do Sul), Sevilla (Espanha) e Málaga (Espanha) são os demais clubes que disputarão o prêmio de 2 milhões de euros destinado ao campeão. Promover a paz no desporto.

A realização do torneio é da Sunmoon Soccer Foundation, entidade com sede na Coreia do Sul e que, no Brasil, há vários anos administra o Departamento de Futebol do Clube Atlético Sorocaba, equipe da Série A-2 do Campeonato Paulista. - O objectivo da competição é promover a paz mundial por intermédio do desporto.

Na Copa da Paz deste ano, especificamente, o superávit obtido com a venda de ingressos e patrocínio, após o pagamento de todas as despesas e premiações, será destinada à construção de um estádio na Faixa da Gaza, região de conflitos situada entre Israel e Palestina- disse Waldir Cipriani, vice-presidente de Marketing do Sorocaba e que irá trabalhar na organização da Copa na Espanha. Actual campeão do torneio, o Lyon está no grupo D da competição ao lado de Besiktas e Porto. O vencedor de cada grupo classifica-se para às semifinais da Copa da Paz. A final será jogado no dia 2 de agosto, em Sevilha.
Os Grupos

Grupo A: Sevilla, Juventus e Seongnam
Grupo B: Real Madrid, LDU, Al-Ittihad
Grupo C: Málaga, Aston Villa e Atlante
Grupo D: Lyon, Besiktas e Porto

Com globo esportes online

CV:Portugal e Brasil apoiam Cabo Verde na extensão da plataforma de 200 para 350 milhas

CABO VERDE PRETENDE EXTENDER A SUA PLATAFORMA PARA 350 MILHAS
PRAIA-Portugal e Brasil vão apoiar Cabo Verde na preparação do dossiê para a extensão da plataforma continental de 200 para 350 milhas.
A decisão saiu hoje da reunião dos ministros responsáveis para os assuntos do Mar, reunidos na cidade da Praia, à margem da Reunião do Conselho de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).
Cabo Verde, com base nas normas da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar de 1982, pretende ampliar para 350 milhas náuticas, a área marítima sob sua jurisdição.
Segundo o Ministro do Ambientes e Recursos Marinhos de Cabo Verde, José Maria Veiga, o arquipélago recebeu durante a reunião a garantia de apoio de Portugal e do Brasil, nomeadamente na elaboração dos estudos preliminares para a extensão da plataforma.
"Há um trabalho fundamental que foi aqui reconhecido que é a partilha do conhecimento. Portugal, que já está a ajudar Cabo Verde neste processo, e o Brasil são os países que estão a liderar este processo, permitindo que tenhamos mais possibilidades de organizar esse trabalho de extensão da plataforma", explicou o ministro, adiantando que espera o fim dos estudos até 2014.
José Maria Veiga salientou ainda que os estudos necessários para apresentação do projecto à Organização das Nações Unidas exigem recursos elevados que o país não dispõe.
"Portugal e Brasil já têm estas informações e esta parceria abre-nos a possibilidade de economizar muito dinheiro na obtenção de conhecimentos que já existem nestes países", concluiu.
LUSA

CV:ENTREVISTA COM JORGE XAVIER DIRECTOR DO HOTEL TRÓPICO DE CABO VERDE

JORGE XAVIER GESTOR DO HOTEL PESTANA TRÓPICO NA CIDADE DA PRAIA
HOTEL PESTANA TRÓPICO NA CIDADE DA PRAIA

Jorge Xavier,Director do Hotel Pestana Trópico da Cidade da Praia.
O gestor de 40 anos é licenciado em Gestão Hoteleira pela Universidade do Algarve. Está em Cabo Verde desde 2003. Nesta entrevista a José Sousa Dias, da Agência Lusa, fala da ocupação do Hotel Pestana Trópico, do difícil ano de 2009 e da estratégia do grupo para o Arquipélago.

José Sousa Dias-Qual foi a estratégia do Grupo Pestana para apostar em Cabo Verde, mais concretamente na Cidade da Praia?
Jorge Xavier-O investimento do Grupo Pestana deu-se na sequência do início da política de expansão do Grupo. Depois de sair da Madeira e ir para Portugal Continental, avançou para a internacionalização e resolveu começar a investir nos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa), nomeadamente em Moçambique, no início da década de 90. Esse desenvolvimento tem continuado e teve o passo seguinte, a nível da África, com a aquisição do Hotel Trópico, em 2003, a um empresário português. Depois, deu-se continuidade com a expansão em São Tomé e Príncipe.Prevemos também a expansão para Angola num futuro próximo. Essa foi a principal razão, integrada na política de expansão do Grupo. Outra razão tem naturalmente a ver com o facto de este hotel ter sido identificado como uma boa oportunidade de negócio e depois de uma série de meses de negociações, adquiriu-se a unidade em Abril de 2003.
Qual foi o montante do negócio?
Comprámos a totalidade da empresa detentora do Hotel Trópico à Empresa de Empreendimentos Turísticos. Ficou em cerca de 1,1 milhões de escudos (cerca de 10 milhões de euros). Comprou-se não só o hotel, como também a dívida. O empréstimo que foi concedido está totalmente pago. Conseguimos amortizar o investimento em cerca de sete anos.
A taxa de ocupação tem sido positiva?
A taxa de ocupação é sempre positiva, até porque este hotel tem apenas 51 quartos (incluindo quatro suites e três executivas). Tem-se mantido acima dos 80% de forma consistente. Temos praticamente sempre garantida uma ocupação de 40 quartos, com excepção de 2004, que foi o nosso ano «horribilis». Mas 2003, 2005, 2006, 2007 e 2008 foram bons anos, sobretudo depois da abertura do novo aeroporto internacional da Praia que deu um grande impulso à actividade na ilha de Santiago.
A estratégia do Grupo Pestana poderá estender-se a outras ilhas de Cabo Verde?
Com certeza que sim. Estamos dependentes das propostas que surgirem e têm sido algumas. Não têm é sido propostas consistentes, que mereçam a nossa aposta.
E com um projecto próprio para abrir unidades hoteleiras noutras ilhas?
Temos muitos projectos em andamento pelo mundo fora, em Miami, Berlim, Londres, já em fase de construção ou de finalização. Temos alguns novos projectos em carteira, mas não foi julgado oportuno reforçar o investimento em Cabo Verde a esse nível. Estamos constantemente a investir neste hotel e a ponderar uma expansão. A breve prazo e quando for julgado oportuno avançar para uma situação dessas, pois então avançaremos.
Falou em expandir o espaço físico do Hotel? De que forma?
São mais 41 quartos a juntar às actuais unidades de alojamento. Passaremos dos actuais 51 para 92 com a duplicação de uma das alas do hotel. Isso responderá à procura que temos tido a longo dos últimos anos. A cidade, aliás, sofre muito com a falta de alojamento de qualidade.
Dada a proximidade de Cabo Verde e as raízes históricas e culturais, o Grupo Pestana equaciona um investimento na Guiné-Bissau?
Não me parece. No actual contexto em que a Guiné-Bissau está mergulhada, acho altamente improvável que o Grupo Pestana se envolva num negócio desses. Não quer dizer que não o faça no futuro. Mas o Grupo Pestana avança devagar e seguro. Dá sempre passos muito seguros e estuda muito bem todos os processos antes de avançar. Como tal, sendo a Guiné-Bissau um contexto com um elevado grau de imprevisibilidade, não me parece que ofereça o retorno necessário para o investimento vultuoso que costumamos fazer.
Qual é a perspectiva de um empresário português, ligado ao Grupo Pestana, sobre o actual momento económico em Cabo Verde?
Bom, não sou propriamente empresário, sou um gestor, um quadro de uma empresa. Digo isto por uma questão de exactidão. O momento que se vive actualmente é de pausa, de uma certa de estagnação. É um ciclo que termina e outro que está para começar. Estamos numa espécie de interregno, naquele chamado «chove, mas não molha». Isso tem-se notado na nossa actividade, temos tido uma ligeira quebra na nossa facturação ao longo deste ano, sobretudo desde Dezembro, que se tem mantido. O nosso desafio agora é equilibrar as coisas para que possamos manter as nossas margens.
Até que ponto a crise está a afectar-vos?
A média que referi (acima dos 80%) tem sido constante ao longo dos últimos cinco/seis anos. Mas este ano tem sido um pouco abaixo disso. Quando vai terminar este ciclo não sei. Este ano tem sido para esquecer. Só em 2010 é que, como se diz por cá, "arribará" um bocadinho. Ainda é cedo para dizer alguma coisa. Este ano, estou convencido de que não passaremos de uma situação de uma certa estagnação.
Do ponto de vista de um gestor que está em Cabo Verde há seis anos, acha que o arquipélago é bom para o investimento português?
Com certeza que sim. Portugal tem estado sempre nos primeiros lugares das tabelas de investidores externos. Há muitas coisas que nos ligam a Cabo Verde: raízes históricas, de sangue, culturais, etc. Faz todo o sentido continuar a investir em Cabo Verde. Embora seja um mercado um pouco difícil de trabalhar, devido à descontinuidade territorial, temos um universo de clientes relativamente reduzido - não chega a meio milhão de pessoas - mas continua a ser vantajoso para as empresas que vêm para cá. Claro que é preciso que essas empresas estejam bem conscientes do que vêm encontrar, estudem bem o mercado e a realidade local. Se há muitas empresas que fazem um bom trabalho de casa com projectos consistentes, também há muitos empresários que vêm à aventura e, como tal, às vezes os resultados não são os melhores. A legislação cabo-verdiana é atractiva?
A legislação é atractiva, nomeadamente com a isenção de impostos nos primeiros 10 anos do investimento externo. No nosso caso, tendo obtido o Estatuto de Utilidade Turística, não pagamos o IUR, o chamado IRC, pois estamos isentos nos primeiros cinco anos e, nos cinco anos subsequentes, só pagamos 50%. Isso é já um grande incentivo. Não há nenhum custo na transferência para o exterior dos rendimentos aqui obtidos, há facilidade para trazer quadros de fora e posso dizer que as autoridades de Cabo Verde têm sido de uma simpatia e de uma cooperação inexcedíveis.
Que conselhos daria a um investidor português apostar em Cabo Verde?
Primeiro, estudar bem o mercado e conhecer bem a realidade local e identificar as oportunidades de negócio, que as há. Agora, há que estudar bem e não vir para cá à aventura. Há pessoas que aparecem aqui no hotel, e nesse caso tenho uma visão privilegiada, que parece que fizeram a mala no dia anterior e resolveram comprar o bilhete de avião para vir a Cabo Verde. E nem sequer fazem reserva de hotel, o que é absolutamente inacreditável. Mas isto pode ser também o reflexo da crise que se vive em Portugal e que leva as pessoas à procura, de alguma forma fruto do desespero, de novos mercados.Se as pessoas estudarem bem a realidade local, tiverem bons contactos, terão grandes probabilidades de ter sucesso no negócio. A AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) tem sido importante no apoio ao empresariado português?A AICEP tem um papel fulcral, sobretudo no acolhimento e aconselhamento ao empresariado português.
Cabo Verde é um arquipélago no meio do Oceano Atlântico. Até que ponto crê que pode tornar-se uma plataforma para África, América e Europa?
Uma das grandes vantagens de Cabo Verde é a sua posição geoestratégica. Mais ou menos a distâncias próximas de três continentes. Mas é um país muito especial.A experiência que aqui se obtém não penso que seja possível utilizar noutros locais. Cabo Verde é um bom exemplo em muitas coisas e, sendo um bom exemplo em muitas coisas, infelizmente não vemos esse exemplo reproduzido noutros países, sobretudo nos países vizinhos na costa africana. Se as coisas aqui são fáceis porque as autoridades cooperam, as leis existem e a justiça funciona, isso não acontece, infelizmente, nos países vizinhos.Cabo Verde é um país africano mas tem muito de europeu. Não vejo como se possa passar essa experiência para outros países. Cabo Verde é, de facto, um país muito especial, no bom sentido.
Oje/Lusa


CV:Em Salvador do Mundo 45 por cento da população sem acesso a água potável

FOTO DO CONCELHO DOS PICOS EM SANTIAGO-CABO VERDE
PICOS- A falta de água fustiga o município de São Salvador do Mundo, onde apenas dez por cento da população usufrui de água canalizada, distribuída a partir do concelho vizinho de Santa Catarina e 45 por cento da população não tem acesso a água potável.
Com estes dados, o concelho é o único do arquipélago que não atingiu o sétimo objectivo do milénio, admite João baptista Pereira, presidente da Câmara Municipal de São Salvador do Mundo.
Das dezasseis localidades existentes no concelho, mais de metade sofre da carência de água. De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (inquérito Quiib-cv) menos de 10 por cento da população usufrui da água canalizada que é distribuída a partir do concelho de Santa Catarina, mas raramente chega às torneiras.
Existem zonas cujas torneiras continuam secas, há mais de um ano, queixam-se os moradores apontando como exemplo a Achada Leitão.
A solução encontrada para fazer face a tanta carência, é o abastecimento de água através de três camiões autotanques da Câmara Municipal local. Estes deslocam-se, diariamente, à Ribeirão Chiqueiro no concelho de São Domingos ou à Santa Cruz para abastecerem-se e depois proceder à distribuição junto da população.
Cada família tem direito a uma vasilha de 200 litros a um custo de setenta escudos e de acordo com Ernestina Barros às vezes passam mais de uma semana sem água. O que obriga a população a deslocar-se a outras localidades e ao concelho vizinho de Santa Catarina, para buscar a água com todo o custo que esta deslocação acarreta.
Situação pior foi registada na localidade Covão Grande. Nesta zona existe um fontanário ligado à rede de abastecimento de água de Santa Catarina. De acordo com os moradores, há mais de dois meses que a água não chegava às torneiras. No domingo passado, 12 de Julho, foi permitido uma “pequena esmola”, insuficiente para todas as famílias da localidade.
Alguns moradores deslocam-se à Achada Galego, em Santa Catarina, para o provimento do precioso líquido. Para cada vasilhame de 25 litros pagam 10 escudos pela água e 20 pelo transporte. Mas trata-se de uma localidade carente e a maior parte da população activa é desempregada, o que obriga algumas famílias a recorrer a água imprópria para o consumo.
O presidente da Câmara Municipal de São Salvador do Mundo, João Baptista Pereira, admite que o problema de abastecimento de água no seu concelho está longe de se resolver. Preocupado com o facto do concelho ser o único do país que ainda não atingiu o sétimo objectivo do milénio, revela que 45 por cento da população não tem acesso à água potável.
“Toda a água da rede vem de Santa Catarina e nós não conseguiremos nos próximos tempos ligar qualquer casa à rede enquanto for insolúvel a sua disponibilidade aqui no município”, desabafou o edil.
A resolução do problema passa, segundo João Baptista Pereira pelo equipamento dos vários furos existentes no município. A necessidade da população de São Salvador do Mundo está estimada em 500 metros cúbicos diários.
INFORPRESS

NASA:Astronautas que foram à Lua incitam humanidade a chegar a Marte

Na foto, da esquerda para a direita: Buzz Aldrin, Michael Collins, Neil Armstrong e Chris Kraft, então director do Centro Johnson Space da Nasa

NASA-Buzz Aldrin e Michael Collins pousaram na Lua há precisamente 40 anos. Aproveitando a efeméride, os antigos astronautas desafiaram a Nasa a desistir de um hipotético regresso ao satélite da Terra, em 2020, e a apostar na chegada de uma viagem tripulada a Marte.«A melhor forma de honrar e de recordar todos os que fizeram parte do programa Apollo é seguir-lhes passos; para corajosamente embarcar outra vez numa nova missão de exploração», disse Aldrin, segundo a BBC.«Preocupa-me que a ênfase actual em voltar à Lua acabe necessariamente por atrasar por décadas a exploração de Marte – um destino que vale bem mais a pena», acrescentou Aldrin.Neil Armstrong, o primeiro homem a andar sobre a superfície lunar, também se juntou aos antigos companheiros esta segunda-feira, para comemorar a data. Armstrong acredita que a competição entre os EUA e a ex-URSS para chegar à Lua foi a derradeira disputa pacífica. Foi um «investimento nacional excepcional», disse.
Fonte:Abola.pt

HOLANDA: Fogo destrói barracão onde Anne Frank ficou presa

Um incêndio no nordeste da Holanda destruiu ontem dois barracões de madeira onde Anne Frank ficou detida no final da Segunda Guerra Mundial.
Os dois barracões ficavam originalmente no campo de concentração de Westerbork, no leste do país, onde os judeus holandeses eram detidos antes de serem deportados para campos de concentração na Alemanha.
Em 1957, os dois barracões foram vendidos e removidos para um vilarejo próximo, Veendam, onde eram utilizados para guardar o maquinário de uma fazenda. A causa do incêndio ainda não é conhecida.
Havia planos para remover um dos barracões, o de número 57, para Westerbork, onde atualmente há um memorial do holocausto. Em agosto de 1944, Anne Frank - que ficou mundialmente conhecida com a publicação póstuma de seus diários - e sua irmã Margot ficaram algumas semanas presas nestes barracões, onde os nazistas usavam os prisioneiros para trabalhos forçados. Após sua deportação para Auschwitz no último transporte saído de Westerbork, Anne Frank morreu em Bergen-Belsen, em março de 1945, poucas semanas antes da liberação daquele campo de concentração.
Fonte:RNW

CINEMA:Brüno, o «imoral», é banido na Ucrânia

FILME "BRUNO" INTERPRETADO PELO ACTOR BRITÂNICO SACHA BARON COHEN
As imagens de órgãos sexuais, de relações homossexuais e de calão são obscenas, impróprias e fazem de Brüno um filme «imoral», diz o Ministro da Cultura e do Turismo da Ucrânia, que baniu o último título com Sacha Baron Cohen do país.A personagem que o actor de Borat agora interpreta é a de um jornalista de moda austríaco, que, sendo gay, coloca em causa todo o tipo de estereótipos que amiúde se jogam contra a homossexualidade. Segundo a Variety, a decisão ucraniana resulta do receio de que o filme ofenda profundamente os sectores religiosos da população.Brüno, realizado por Larry Charles, deveria estrear na próxima semana na Ucrânia e os representantes locais da distribuidora, a Universal Pictures, não comentaram o caso. Esta situação não é nova para Baron Cohen: Borat também havia sido banido do Cazaquistão – de onde era originária essa personagem, também jornalista – e na Rússia.O certo é que o filme está a ter sucesso nas bilheteiras – foi número um na primeira semana de exibição nos Estados Unidos, tendo conseguido, nesse período, 41,4 milhões de euros em todo o mundo. Ainda antes desta decisão, a Universal já tinha decidido lançar uma versão ligeiramente cortada de Brüno – que está classificado para adultos – de forma a abranger audiências mais jovens.
Por Abola.pt