quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Repórter África - Informação - Diária RTP Internacional - Multimédia RTP

Repórter África - Informação - Diária RTP Internacional - Multimédia RTP

No Brasil vale tudo menos votar nulo - Globo - DN

No Brasil vale tudo menos votar nulo - Globo - DN

Ed Miliband devolve vantagem a trabalhistas - Globo - DN

Ed Miliband devolve vantagem a trabalhistas - Globo - DN

CRE Portugal coloca Kits nas Festas - ILEGALIDADE

Agência antidroga dos EUA instala 'filial' em Lisboa - Portugal - DN

Agência antidroga dos EUA instala 'filial' em Lisboa - Portugal - DN

domingo, 26 de setembro de 2010

Brasil: as feridas ainda abertas de uma potência em ascensão - Mundo - PUBLICO.PT

Brasil: as feridas ainda abertas de uma potência em ascensão - Mundo - PUBLICO.PT

CV(LIBERAL):MULTIDÃO ENCHE GAMBOA NA FESTA DI MUDANSA

PRAIA-Fala-se em 70 mil, mas pode ser muito mais o número de pessoas que encheram esta noite o areal da Gamboa para assistir à “Festa di Mudansa”, organizado pelo MpD e que tinha como ponto alto a intervenção do seu líder Carlos Veiga.
No intervalo das actuações de Jorge Neto e Gil Semedo que puseram o público praiense ao rubro, Carlos Veiga subiu ao palco para falar do evento: o 18.º aniversário da Constituição. Porque muitos não têm ideia do que isso representa para as pessoas e para o país.
Foi a Constituição de 1992 aprovada na sequência das eleições de 1991 é que deu a liberdade aos cabo-verdianos. Em vários aspectos. Basta ver a liberdade das pessoas, dos milhares que estiveram na Gamboa para assistirem a uma festa organizada pela oposição. Antes não era possível.
Como não era possível expressar ideias, ler jornais e ouvir rádio que as pessoas bem entendessem. “Essa liberdade era reservada só às pessoas que militavam no partido único”, recorda Veiga.
A RESISTÊNCIA DO PAICV
O líder do MpD fez questão de realçar todo o movimento e resistência do partido que estava no poder (o PAICV) para mudar a Constituição, e na qual participaram muitos pais, avós e parentes de muitos daqueles que se encontravam na festa ventoinha desta noite.
Hoje, diz Carlos Veiga, pelos contactos com as populações em diversos concelhos e em quase todos os cutelos de Cabo Verde, pelo que pôde observar, esse facto só aumentou a sua preocupação “com a falta de rumo do nosso país, com a incompetência e o desinteresse do governo em relação às pessoas e às suas dificuldades”.
http://liberal.sapo.cv/noticia.asp?idEdicao=64&id=30309&idSeccao=523&Action=noticia

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Espanha: Aprovado «o orçamento mais austero dos últimos anos»

Espanha: Aprovado «o orçamento mais austero dos últimos anos»

Cavaco chama partidos a Belém

Cavaco chama partidos a Belém

«Governo sem orçamento aprovado não tem condições para Governar» - José Sócrates

«Governo sem orçamento aprovado não tem condições para Governar» - José Sócrates

Ferro Gaita - Bandera liberdade

CHINA/ANGOLA:China aumenta crédito a Angola em 2,9 mil milhões de euros

 PEQUIM-A China vai aumentar em cerca de quatro mil milhões de dólares (2,9 mil milhões de euros) o crédito que concedeu a Angola em 2004, revelou o embaixador angolano na China à agência de notícias angolana.
De acordo com João Manuel Bernardo, os créditos do governo chinês ao Estado angolano para os esforços de reconstrução nacional atingem, nesta altura, cerca de seis mil milhões de dólares (4,4 mil milhões de euros).
Em entrevista à Angop, o diplomata afirmou que o crédito concedido em 2004 foi de dois mil milhões de dólares (1,4 mil milhões de euros).
"Estamos na parte burocrática desta negociação para que, ainda ao longo deste quarto trimestre, possamos já ter alguns destes valores postos à disposição do Governo de Angola", disse o embaixador.
João Manuel Bernardo indicou que parte desse crédito será investido na agricultura, requalificação de algumas áreas da capital e reforço do financiamento para o projecto de construção de habitações.
No entanto, o diplomata sublinhou que as áreas prioritárias de intervenção da primeira linha de crédito da China são a reconstrução de infra-estruturas rodoviárias, construção de escolas, saúde e telecomunicações.
OJE/LUSA

CABO VERDE:Cerca de quatro mil cabo-verdianos já se recensearam em Portugal

Cerca de 4 mil cabo-verdianos residentes em Portugal já se registaram no processo de recenseamento eleitoral em curso, que termina no próximo dia 26 de Novembro, anunciou em Lisboa uma fonte da Comissão Nacional de Eleições.
Hélio Sanches manteve nos últimos dias várias reuniões de trabalho em Portugal, para avaliar da forma como está a decorrer o novo processo de recenseamento.
"Neste momento cerca de 4 mil cabo-verdianos já estão recenseados. Há uma boa perspectiva desse processo continuar no bom caminho" disse Hélio Sanches, que acrescentou esperar que a maioria dos cabo-verdianos radicados em Portugal se registe, durante uma conferência de imprensa.
Presentemente, encontram-se inscritos na Secção Consular da embaixada de Cabo Verde em Lisboa cerca de 140 mil cidadãos cabo-verdianos, e comparativamente ao anterior recenseamento, de 2005, registaram-se cerca de 19 mil eleitores.
Sem querer comprometer-se com números, tanto Hélio Sanches, como Maria Cristina Pereira, presidente da Comissão de Recenseamento Eleitoral em Portugal, disseram que a meta deverá fixar-se nos 10 mil eleitores inscritos até 26 de Novembro.
Todavia, precisou Hélio Sanches, o processo de recenseamento está permanentemente aberto, sendo aceites registos até 65 dias antes da ida às urnas.
Cabo Verde deverá realizar eleições legislativas até Março de 2011 e presidenciais ao longo do ano.
No encontro com a imprensa, Hélio Sanches reconheceu "constrangimentos" técnicos e falta de divulgação no processo de sensibilização dos cabo-verdianos residentes em Portugal, mas manifestou-se esperançado em ultrapassar esses problemas.
"Verifico que o recenseamento está a decorrer num clima de normalidade. Neste momento, o que falta é continuar com o processo, incentivando os cabo-verdianos para se virem recensear. Temos que fazer uma melhor divulgação do processo e constatamos que existem também alguns problemas técnicos", acentuou.
OJE/LUSA

BRASIL:Lula veste cores da Petrobras para comemorar maior capitalização de sempre

SÃO PAULO-O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, vestiu hoje as cores da Petrobras para assinalar a maior capitalização já feita por um empresa na história do capitalismo.
Vestido com um paletó laranja e com um capacete semelhante ao utilizado pelos trabalhadores da estatal brasileira, Lula da Silva participou da abertura simbólica da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).
"Não foi em Frankfurt, não foi em Londres, não foi em Nova York, foi na Bovespa, a maior operação do capitalismo mundial", disse o presidente, depois de confessar que a sua "alegria não tinha tamanho".
O aumento de capital da Petrobras foi o maior de sempre, num total de 115,05 mil milhões de reais (66,9 mil milhões de dólares), superando a oferta do Agricultural Bank of China (22,1 mil milhões de dólares), até ali a mais elevada deste ano.
Com aquela operação, a estatal brasileira transformou-se na segunda maior petrolífera do mundo, atrás apenas da norte-americana Exxon e à frente da Petro China.
No discurso, Lula da Silva recordou que antes de assumir a presidência do Brasil, em 2003, era motivo de temor dos empresários, por causa de suas propostas consideradas radicais.
"Há dez anos eu passava aqui e as pessoas tremiam de medo", disse Lula, arrancando sorrisos das dezenas de empresários e de executivos da empresa que acompanharam a cerimónia.
"Exactamente como presidente, vejo esse momento auspicioso do capitalismo [brasileiro]. Nunca antes da história da humanidade nós tivemos uma operação da envergadura da Petrobras", disse.
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, sublinhou que a capitalização da Petrobras foi realizada "num momento em que a economia mundial vive problemas, com a escassez de recursos", resultado da crise global de 2008.
"O Brasil não terá a maldição do petróleo. Eu diria que será a bênção do petróleo", disse o ministro, para quem a "capitalização da Petrobras é um sinal dos bons tempos" que a economia brasileira atravessa.
Mantega salientou que a Petrobras é "um dos principais agentes de desenvolvimento" do país, com investimentos que "exercem grande impacto na economia".
Os recursos obtidos com a operação vão financiar o plano de investimentos da petrolífera para o período 2010-2014, no total de 224 mil milhões de dólares.
A capitalização da Petrobras insere-se num conjunto de mudanças na regulação do sector, promovida pelo presidente Lula da Silva, depois da descoberta de grandes reservas no litoral do país.
Com as mudanças, a estatal passou a ser a única operadora na região das grandes reservas, com potencial estimado de 80 mil milhões de barris, o que poderá transformar o Brasil no detentor da sexta maior reserva mundial de petróleo.
http://www.oje.pt/noticias/internacional/lula-veste-cores-da-petrobras-para-comemorar-maior-capitalizacao-de-sempre

A CADELA QUE DANÇA MELHOR DE QUE MUITAS MULHERES

domingo, 19 de setembro de 2010

Bicadas de Cardozo anestesiaram o leao

Bicadas de Cardozo anestesiaram o leao

Quadruplicaram pedidos de imigrantes para sair de Portugal - Portugal - DN

Quadruplicaram pedidos de imigrantes para sair de Portugal - Portugal - DN

Dimanche sans voiture a Bruxelles: mode d'emploi

Dimanche sans voiture a Bruxelles: mode d'emploi

Papa critica tentativa de ridicularizar fé católica

Papa critica tentativa de ridicularizar fé católica

Pesquisadores desenvolvem roupa em spray

Pesquisadores desenvolvem roupa em spray

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

CV:Cabo Verde é 117.º em competitividade num universo de 139 países

PRAIA-Cabo Verde ocupa a 117.ª posição no Ranking Global de Competitividade 2010-2011, num universo de 139 países.
A avaliação é do Fórum Económico Mundial. Cabo Verde, que integrou a lista dos avaliados pela primeira vez, foi avaliado de forma positiva nos requisitos básicos de competitividade, mas foi penalizado devido à fraca performance dos factores geradores de eficiência, onde ocupa o lugar n.º 129.
De acordo com Frantz Tavares, director executivo da Inove Research, uma das empresas que promoveu a entrada do país para o ranking dos avaliados, pesaram na avaliação da variável a ineficiência dos mercados laboral e de bens, bem como o incipiente Ensino Superior e a reduzida dimensão do mercado nacional.
Entretanto o arquipélago foi avaliado de forma positiva nos requisitos básicos de competitividade, considerado o factor mais relevante na avaliação de países em desenvolvimento. "Com uma pontuaçãode 4,13 pontos, Cabo Verde ocupa o lugar 96, resultado da avaliação muito positiva das instituições públicas - 56.º na saúde e 89.º na educação primária - e uma avaliação pouco favorável das infra-estruturas", aponta.
No indicador inovação o país classifica-se no 117.º lugar, e no indicador de sofisticação de negócio está na 128.ª posição.
Segundo o director executivo da Inove Research, de entre os 31 países da África Subsariana avaliados pelo Fórum Económico Mundial, Cabo Verde encontra-se no meio da tabela, ou seja, no 15.º lugar.
O ranking geral é liderado pela Suíça, seguido da Suécia e Singapura. Os EUA caíram dois lugares, passando a ocupar a 4.ª posição.
O Relatório Global de Competitividade elaborado pelo Fórum Económico Mundial é, segundo Frantz Tavares, reconhecido mundialmente como sendo a referência de medidas de comparação e de factores que afectam a competitividade e o crescimento dos países. Com a primeira divulgação em 1979, o relatório oferece a mais profunda avaliação da competitividade de mais de 130 países desenvolvidos e emergentes, tendo como principais objectivos fornecer um instrumento único de benchmarking para as Empresas no desenvolvimento de estratégias e na tomada de decisões de investimento e aos Governos na identificação de obstáculos ao crescimento económico e de medidas de política económica.
http://www.oje.pt/noticias/africa/cabo-verde-e-117-em-competitividade-num-universo-de-139-paises

UE:Sem o euro a Alemanha teria muitas dificuldades em superar a crise, admite Merkel

BERLIM-A chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu hoje que, sem o euro, a Alemanha teria tido mais dificuldades em superar a crise económica e financeira internacional e ficaria à mercê das oscilações cambiais na Europa, o seu principal mercado.
"Se não tivéssemos o euro durante esta crise, um país exportador como a Alemanha seria muito, muito influenciado pelas turbulências cambiais no nosso principal mercado, a Europa", disse a chefe do Governo germânico em Berlim, durante o debate sobre o orçamento do Estado para 2011.
A crise também mostrou, na opinião de Merkel, que a solidez dos orçamentos nacionais e os potenciais de crescimento na União Europeia "não estão bem distribuídos" e que vários países não respeitaram os princípios do Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC).
Merkel acusou depois a oposição social-democrata (SPD) de ter "falhado historicamente" em duas ocasiões, no que se refere à protecção da moeda única. Lembrou então que o anterior chanceler Gerhard Schroeder, em 2004, "suavizou" o PEC, "contra a opinião do próprio ministro das Finanças". O segundo episódio, mais recente, foi a abstenção do SPD na votação no Parlamento alemão para aprovar o fundo de resgate do euro, considerado essencial para ultrapassar a crise da dívida pública que afecta alguns países, sobretudo a Grécia. "Esperávamos que, pelo menos, nos tivessem ajudado a defender os interesses da Alemanha nas negociações com a Grécia sobre a protecção do euro", afirmou Merkel, dirigindo-se à bancada do maior partido da oposição.
No mesmo contexto, a chanceler lembrou que levou dois meses para "convencer a Europa de que primeiro os países-membros tinham de poupar" e só depois devem beneficiar da solidariedade comunitária. "Se nos tivessem ajudado, talvez tudo tivesse sido mais rápido", disse Merkel ao líder da oposição, Sigmar Gabriel.
No que se refere à regulação dos mercados financeiros, na sequência da crise, a dirigente conservadora afirmou que o processo "ainda não está no fim, apesar de se ter conseguido alguma coisa". Lembrou, neste contexto, que já há uma supervisão europeia, e que, apesar de ter sido criticada a nível internacional, a Alemanha avançou com medidas para regular os chamados derivados financeiros (short selling). "Esperamos agora que a União Europeia também regule devidamente os derivados", acrescentou a chanceler.
Além disso, Berlim continuará a empenhar-se a favor de um imposto internacional sobre transacções financeiras e prosseguirá conversações com países mais reticentes para encontrar um denominador comum, anunciou Merkel. "Mantemos o credo de que todos os produtos, todos os actores e todos os participantes no mercado financeiro têm de ser sujeitos a regulação", garantiu ainda.
OJE/LUSA

CEDEAO:Cimeira extraordinária da CEDEAO debate sexta-feira situação na Guiné-Bissau

ABUJA-A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) reúne-se na sexta-feira em Abuja, Nigéria, para discutir a situação na Guiné-Bissau e as recomendações feitas pelo comité dos chefes das Forças Armadas para a reforma do sector de defesa.
A cimeira extraordinária da CEDEAO foi convocada pelo chefe de Estado da Nigéria, Goodluck Johnatan, que assume a presidência da organização, na sequência de um alegado pedido pela presidência guineense de um contingente militar para a estabilização do país.
O presidente da Guiné-Bissau, Malam Bacai Sanhá, desmentiu o pedido em declarações à agência Lusa e à RDP/África, afirmando que se o tivesse feito "apresentaria documentos". "Se eu tivesse feito esse pedido vocês saberiam", acrescentou o presidente da Guiné-Bissau.
Segundo o ministro da Defesa guineense, a cimeira da CEDEAO vai discutir a questão da reforma do sector da defesa e segurança no país e de se fazer "algo como Angola está a fazer", aludindo ao apoio que Luanda vai dar aos sectores no âmbito da cooperação bilateral.
A 1 de Agosto, no final de uma reunião do Conselho Superior Militar, a presidência guineense anunciou que as autoridades políticas e militares do país estavam de acordo com o princípio do envio de uma força de estabilização.
Depois de uma deslocação à Guiné-Bissau entre 10 e 12 de Agosto, os chefes das Forças Armadas da CEDEAO concluíram ser urgente dar continuidade ao processo de reforma do sector de Defesa e Segurança guineense.
Para já, ficou estabelecido que as Forças Armadas guineenses precisam ser reestruturadas, porque contam actualmente com mais oficiais do que soldados e também necessitam de formação nos domínios da cidadania, respeito pelos Direitos Humanos e princípios democráticos.
As Forças Armadas guineenses precisam também de fundos para dar início ao programa de reconstrução de casernas e reequipamento das instalações militares.
http://www.oje.pt/noticias/africa/cimeira-extraordinaria-da-cedeao-debate-sexta-feira-situacao-na-guine-bissau

MÚSICA:Documentário sobre Cesária Évora será apresentado na televisão portuguesa

LISBOA-"Cesária - Nha Sentimento", documentário de cerca de 50 minutos realizado pela jornalista portuguesa Sofia Leite, revela o quotidiano da cantora cabo-verdiana, de 69 anos.
Praia - Um documentário que retrata o percurso musical da cantora cabo-verdiana Cesária Évora será estreado a 17 de Setembro na Rádio Televisão Portuguesa (RTP).
"Cesária - Nha Sentimento", documentário de cerca de 50 minutos realizado pela jornalista portuguesa Sofia Leite, revela o quotidiano da cantora cabo-verdiana, de 69 anos, no seu país natal e em vários concertos realizados no âmbito da sua vasta carreira internacional.
Para realizar esta obra, Sofia Leite acompanhou Cesária Évora à ilha de São Vicente, em Cabo Verde, em Paris, segunda residência da cantora, e em Israel, onde seguiu igualmente a última tournée da artista, conhecida mundialmente como a "Diva dos Pés Descalços".
O documentário resulta de um projeto desenvolvido pela RTP e pela produtora Lusafrica, do produtor José da Silva, tido como o grande responsável pelo sucesso da carreira internacional de Cesária Évora, que começou no início dos anos 90 em França.
A estreia deste documentário acontece a pouco dias do regresso aos palcos internacionais, previsto para Outubro, da mais famosa cantora cabo-verdiana da atualidade depois de um interregno de quase cinco meses, na sequência de uma intervenção cirúrgica no passado mês de Maio em Paris devido a problemas cardíacos.
Depois de um período de repouso na sua residência na cidade de Mindelo, fontes da produtora da cantora garantem que Cesária Évora está a recuperar bem e está cheia de vontade de voltar aos palcos.
http://www.africa21digital.com/noticia.kmf?cod=10659439&canal=403

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Barack Obama escreve livro para crianças

Barack Obama escreve livro para crianças

COMUNIDADES:ENTREVISTA COM NECAS MARTINS-MPD FRANÇA

CABO VERDE PRECISA DE UM GOVERNO FORTE, SÉRIO, COMPETENTE E QUE NÃO VENDA ILUSÕES AOS CABO-VERDIANOS

A Comissão Politica do MpD da região política especial da Holanda tem realizado várias actividades de carácter político-partidárias com vista a sensibilizar os cabo-verdianos a participarem no recenseamento eleitoral que decorre neste momento um pouco por toda a diáspora cabo-verdiana.
Recentemente fomos convidados a participar num encontro em que estiveram presentes vários dirigentes do maior partido da oposição como Joana Rosa, Victor Coutinho, Filomena Gonçalves mas também dirigentes das estruturas do Luxemburgo e da França.
Aproveitamos para ter uma conversa com Necas Martins membro da Comissão Politica do MpD da região Politica especial da França.
Rádio Atlântico - Esteve na Holanda a participar num evento organizado pelo MpD Holanda. Que importância teve para si esse encontro?
Necas Martins - O encontro foi extremamente importante porque serviu para troca de experiências com as outras estruturas do MpD na diáspora. Foram abordadas e discutidas questões do recenseamento eleitoral, conviver de perto com os militantes e simpatizantes do partido e ficou patente que o MpD está coeso, forte, determinado e maduro.
RA - É sinal que as Estruturas do MpD da região do Benelux estão sintonizadas?
NM - Efectivamente é um sinal claro que o MpD na diáspora está bem organizado, coeso e dinâmico rumo a vitória nas eleições legislativas de 2011 que será um ano de uma nova mudança, um ano para dar ao país um novo rumo e salvar Cabo Verde do abismo da má governação do Paicv.
RA - O Recenseamento já começou em França?
NM - Segundo dados oficiais o recenseamento já se encontra em curso há duas semanas. De Segunda a Sexta-feira das 09H00 às 18H00 e aos Sábados e Domingos a mesma hora na embaixada de Cabo Verde em Paris.
RA - Quantos postos móveis serão criados? Acha que são suficientes?
NM - Em princípio são dois: um em Marseille e outro em Nice. Quer dizer que os outros cabo-verdianos residentes noutras regiões da França foram excluídos deste processo. É o caso da Região de Moselle que distam de Paris três horas de carro mas o MpD tudo fará para que esses cabo-verdianos possam exercer o seus direitos e deste modo participar na vida política de Cabo Verde.
RA - O seu Partido está preparado para dar o seu contributo no Recenseamento Eleitoral?
NM - Claro que o MpD tudo fará para ajudar nesse processo e dar o nosso contributo naquilo que for necessário mas também encontrar uma solução para o caso já apontado e discutir com as autoridades competentes na busca de uma solução prática para esta questão. Estamos também dispostos em discutir e negociar conjuntamente com a Associação cabo-verdiana de Moselle na cedência de um espaço para a instalação de um posto móvel, caso essa proposta for aceite pela Comissão de Recenseamento.
RA - Em França temos uma embaixada e vários consulados honorários. A nossa embaixada responde as expectativas e demandas dos nossos conterrâneos? Fazem um trabalho de proximidade?
NM - O que eu posso avaliar pessoalmente do serviço prestado pela Embaixada de Cabo Verde em Paris é um serviço ainda com muitas insuficiências que padecem de soluções uma vez que as demandas são muitas e o tempo de resposta é longos uma das preocupações compartilhadas por quase todos os cabo-verdianos residentes em França. Uma Embaixada de proximidade isso nem falar porque por essas paragens esse serviço não existe mas gostaríamos que ela fosse uma realidade.
RA - Sabe dizer-me onde estão concentrados os cabo-verdianos em França e se estão organizados em Associação?
NM - A comunidade cabo-verdiana está espalhada e em maior número em Paris, Marseille, Nice, Moulouse e Moselle e está efectivamente organizada em associações desportivas, recreativas e culturais.
RA - Porque pensa que o seu partido vai ganhar ás próximas eleições Legislativas em Cabo Verde?
NM - O MpD vai ganhar as eleições porque é preciso mudar para tirar o país do marasmo em que se encontra, porque o MpD é hoje de novo a esperança dos cabo-verdianos, hoje o MpD é um partido mais forte e maduro, portador de grandes capacidades e competências, de uma grande experiência de governação. Acredito que hoje o MpD é o maior partido cabo-verdiano e está preparado para governar Cabo Verde em 2011. Ao contrário do Paicv que ao longo dos dois mandatos se preocupou em vender a sua imagem, um partido que já se encontra esgotado, um governo que não conseguiu cumprir as metas que definiu no seu programa de governo, o desemprego vem aumentando de ano para ano, o investimento estrangeiro reduziu drasticamente, os impostos já não dão para financiar as despesas correntes do estado e para compensar o governo esta a endividar o país através de empréstimos, um governo sem politicas para os sectores da educação, saúde, energia, égua, saneamento, o transporte marítimo ou seja a ligação entre as ilhas é deficitária, a insegurança, um governo que prioriza o estado em prejuízo das pessoas, famílias e empresas, um governo que centraliza em vez de descentralizar, um governo sem politicas viradas para emigração mas sim nas vésperas das eleições criou um Ministério da Emigração fantasma cuja sua criação foi meramente eleitoralista, em suma Cabo Verde precisa de um governo forte, sério, competente e que não venda ilusões aos cabo-verdianos, Cabo Verde e os cabo-verdianos precisam do MpD no Governo em 2011.
PERFIL
Necas António Ramos Martins nasceu na Freguesia de Nossa Senhora do Livramento-Santo Antão a 04 de Junho de 1969. É Técnico de construção civil. Em Cabo Verde desempenhou várias outras funções: foi docente de alfabetização, delegado municipal, representante do Ministério das Infra-estruturas e dos transportes assim como foi Deputado Municipal na Câmara Municipal da Ribeira Grande. Actualmente reside e trabalha em França na região deUckange.
http://liberal.sapo.cv/noticia.asp?idEdicao=64&id=30163&idSeccao=523&Action=noticia

COMUNIDADES: ENTREVISTA COM NELSON BRITO-MPD LUXEMBURGO

Governo está a brincar com os cabo-verdianos da diáspora

NÃO HÁ RAZÕES PARA DAR O TERCEIRO MANDATO A JMN
Nelson Brito da Comissão Politica do MpD-Luxemburgo esteve recentemente na Holanda a participar num evento político organizado pela Estrutura do MpD da Holanda. Aproveitamos a sua presença para uma pequena conversa. Nessa conversa Nelson Brito acusa o governo de JMN de estar a brincar com a diáspora e deixa claro que não há razões para dar o terceiro mandato a José Maria Neves
Rádio Atlântico - Esteve na Holanda a participar num evento organizado pelo MpD Holanda. Que importância teve para si esse encontro?
Nelson Brito - O encontro foi muito profícuo porque houve uma boa adesão dos militantes e amigos do MpD, serviu-nos para trocar ideais com os nossos amigos do MpD da Holanda e ao mesmo tempo serviu-nos também para definir uma agenda política do partido para o Benelux.
RA - É um sinal que as Estruturas do MpD da região do Benelux estão sintonizadas?
NB - Sim, acho que é necessário que haja uma estratégia política concertada entre esses países. Como sabem são países vizinhos em que os problemas e anseios das nossas comunidades são quase os mesmos. Daí a necessidade de uma coordenação consertada, aliás defendemos que é oportuno que haja uma coordenação única para Europa que definiria uma agenda política em sintonia com todas comissões políticas dos países da nossa região.
RA - O Recenseamento já começou em Luxemburgo?
NB - Como sabem o governo luxemburguês, disponibilizou-se em apoiar o recenseamento na diáspora. É triste dizer que ainda não começou e nem sabemos quando começa. Penso que estão a brincar com a comunidade cabo-verdiana e com aqueles que se disponibilizaram em financiar o recenseamento. O governo está mais interessado nas nossas remessas do que na nossa participação política. Penso que ainda não criaram condições para iniciar o recenseamento, por terem perdido cá no Luxemburgo.
RA - Quantos postos móveis serão criados? Acha que são suficientes?
NB - Como há dois kits, haverá dois postos móveis, um para a zona sul, outro para zona norte. Sem falar do fixo que se localiza no consulado de Cabo Verde na capital. Como vêem a comissão tem feito o seu trabalho, o governo que não tem vindo a assumir os seus compromissos nessa matéria, ou seja, não criou as condições para que o processo se iniciasse em Março como previsto.
RA - Mudando de assunto quais os problemas que os nossos conterrâneos atravessam neste momento em Luxemburgo?
NB - Temos problemas gravíssimos: para as autoridades luxemburguesas o único documento válido é o passaporte no caso de países como o nosso. Acontece que muitos cabo-verdianos têm sido lesados pelo Estado de Cabo Verde porque os passaportes da nossa comunidade deixaram de ser emitidos cá no consolado ou seja, são emitidos em Cabo Verde. O problema é que por este facto pessoas passam até quatro meses sem receber o seu passaporte. Há pessoas que adiaram ou mesmo ficarem sem irem de férias, outros perderam negócios e até houve casos em que pessoas, perderam e ficarem sem empregos por não possuírem passaporte. Como sabem o único documento válido para os estrangeiros no Luxemburgo é o seu passaporte, e o Estado, o Governo sabe melhor do que ninguém disso. Por isso custa-me compreender o porquê dessa irresponsabilidade. Isso não dignifica o esforço que cada um de nós faz todos dias para que cada vez mais o nosso país seja deveras um país que todos sonham e nem dignifica as excelentes relações cooperação que temos com o Grão Ducado de Luxemburgo. Há sim muita conversa e pouca acção da parte deste governo cansado e sem ideias para dar rumo ao país.
RA - O Consulado dá um tratamento eficaz a esses assuntos que tem a ver com os cabo-verdianos residentes neste País?
NB - O consulado tem colaborado muito nesta matéria, como é do conhecimento público essa questão de emissão de passaportes ultrapassa as competências do consolado. Porem, tenho ouvido pessoas lesadas dizendo que apesar desse constrangimento têm recebido muita abertura por parte da encarregada dos negócios no sentido de minimizar essas dificuldades.
RA - Voltando para a questão do Recenseamento Eleitoral, queria perguntar-lhe se o seu Partido está preparado para dar o seu contributo no Recenseamento Eleitoral que ora começa na diáspora…
NB - Claro, desde Fevereiro temos vindo a alertar às pessoas de que o recenseamento iniciava no mês de Março, contudo, já estamos no mês de Setembro nem sequer começou e já é sabido de que termina no mês de Novembro. Imaginem, nem sequer iniciou, o governo já definiu a data do término. Isso mostra-nos que o governo não tem interesse numa grande participação da diáspora na vida política do país. Por não ter cumprido o prometido, a única alternativa que governo dispõe para minimizar os estragos é impedir que muitos conterrâneos se recenseiam.
RA - Como analisa o desempenho do actual governo no tocante a diáspora cabo-verdiana?
NB - Sou um jovem que defendo os meus valores, os meus princípios e tenho como todos cabo-verdianos uma visão para o meu país. Penso que esse valor que defendo, não me impede de fazer uma análise séria da realidade da diáspora cabo-verdiana e do que se passa em Cabo Verde. Como estamos a falar de política, muitos autores, defendem que ela é a “arte de bem governar,” que pressupõe dar melhor qualidade de vida às pessoas. Neste caso acho que o balanço é negativo, assim vejamos: consegue-se hoje no nosso caso em Luxemburgo, os documentos necessários com um timing razoável para podermos melhor integrar e resolver os nossos problemas? Não! Há um serviço cultural e educacional nas embaixadas e consulados para promover a nossa cultura e uma melhor integração da nossa comunidade nesses países? Não! Há uma estratégia para apoiar e incentivar as associações cabo-verdianas espalhadas pelo mundo? Não? Há um “casamento” que seria interessante entre a nossa TACV e os imigrantes? Não! Pagamos menos impostos, temos vindo a ganhar mais poder de compra no nosso país? Não! Há um provedor do imigrante eleito duma forma independente para defender e resolver problemas que nos afligem? Não? Sentimo-nos mais seguros quando vamos ao nosso país? Não. Por isso não há razões para dar o terceiro mandato a um governo que ao fim de 10 anos não fez políticas para mudar num bom sentido a vida das pessoas. O país não tem recursos para sustentar muita propaganda, muita retórica. Precisamos sim de muita acção, para podermos criar emprego e riqueza para o nosso país.
Norberto Silva, Rotterdam-Holland
http://liberal.sapo.cv/noticia.asp?idEdicao=64&id=30175&idSeccao=523&Action=noticia

Dirigente do PS com licenciatura duvidosa

Dirigente do PS com licenciatura duvidosa

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

CV:Reunião em Cabo Verde analisa "as novas constelações políticas"

PRAIA-A primeira reunião internacional dos Pontos Focais da Iniciativa Africana para o Atlântico (IAA) decorre hoje na Cidade da Praia, com a análise das "novas constelações políticas" por representantes de mais de 20 países de África.
Numa nota de imprensa, o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde lembra que o encontro surge na sequência da decisão tomada durante a primeira Reunião Ministerial dos Estados Africanos Ribeirinhos do Atlântico, realizada em Rabat (Marrocos) em Agosto de 2009, em que participaram os chefes da diplomacia de mais de 20 países africanos costeiros do Oceano Atlântico.
Esta reunião, organizada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros cabo-verdiano em parceria com o Secretariado Permanente da iniciativa, com sede em Marrocos, reunirá na Cidade da Praia a maioria dos pontos focais.
A reunião visa elaborar um documento que será depois discutido pelos ministros à margem da 65.ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, que decorrerá entre 20 e 30 deste mês em Nova Iorque.
O documento poderá ser aprovado posteriormente, durante a segunda Reunião Ministerial dos Estados Africanos Ribeirinhos do Atlântico, prevista para o próximo mês de Novembro, em Rabat.
"Com a reconfiguração da governança global e o surgimento de novas constelações geopolíticas, a região atlântica emerge como uma zona de interesse acrescido e actualmente objecto de vários debates", refere a nota do MNE cabo-verdiano.
"Os desafios económicos, ambientais, sociais e securitários nesse espaço do Atlântico são múltiplos, evolutivos e cada vez mais complexos", acrescenta-se no documento.
Para isso, conclui o comunicado, "é necessário que os países Africanos Costeiros do Atlântico criem e promovam uma identidade própria e indivisível, com vista à criação de um espaço geopolítico de diálogo e de cooperação, quer na sua dimensão africana, quer numa dimensão geográfica mais alargada, numa perspectiva progressiva, colectiva e solidária".
http://oje.sapo.cv/noticias/nacional/reuniao-em-cabo-verde-analisa-as-novas-constelacoes-politicas

CV(INFORPRESS):Centro de Informação Turística de Santa Maria, em Cabo Verde, reabre portas

SANTA MARIA-Os turistas e a população salense passam a dispor de informações mais fidedignas, e outros serviços, com a reabertura do Posto de Informação Turística, na vila de Santa Maria, após 15 meses encerrado.
O centro de informação turística, inaugurado em 2006, cuja gestão era inicialmente concessionada a terceiros, não correspondeu aos objectivos preconizados, tendo a Câmara Municipal reassumido a responsabilidade da sua dinamização desde a semana passada, após 15 meses de portas fechadas.
Dispondo de um gestor formado em turismo e dois jovens técnicos da área, o Posto de Informação Turística vai ser dinamizado mensalmente, com actividades culturais, como shows de diferentes músicos e exposição de trabalhos de artistas locais, artesãos, pintores e escultores, para atrair a atenção dos visitantes, contando com a colaboração dos operadores turísticos da ilha.
Por outro lado vai prestar um serviço de informação actualizada e completa sobre a localidade, o país, gentes e costumes, eventos culturais e atracções turísticas, a nível nacional, além da promoção da marca Cabo Verde enquanto destino turístico.
A apresentação ou comercialização de produtos como mapas e guias turísticos, brindes, souvenirs, imagens e vídeos em suportes informáticos, literatura, música, entre outros, é condição sine qua non para a promoção da imagem e a oferta turística do país.
Elísio Neves, gestor do Posto de Informação Turística, revela que nestes primeiros dias ainda não se sente a afluência das pessoas, porém sempre vai chegando um ou outro turista a pedir informações e esclarecimentos.
O horário de funcionamento é das 9 da manhã às 14:30 e das 15:30 às 21 horas.
http://oje.sapo.cv/noticias/nacional/centro-de-informacao-turistica-de-santa-maria-em-cabo-verde-reabre-portas

CV(RTC):Cabo Verde pede 408 milhões de euros à CEDEAO

PRAIA-Cabo Verde solicitou à CEDEAO - Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental 408 milhões de euros para apoiar o Programa de Desenvolvimento Comunitário (PDC), proposta que está a ser analisada e visa promover as actividades económicas das populações.
O pedido foi entregue à CEDEAO por Humberto Brito, secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro cabo-verdiano, com o projecto a abranger áreas de desenvolvimento humano, integração, desenvolvimento de infra-estruturas de produção, transportes e comunicações.
O PDC, elaborado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros cabo-verdiano, deverá permitir um resultado global de maior sensibilização, da apropriação do processo de integração e da participação efectiva das populações, segundo Humberto Brito.
"A ideia é alcançar uma competitividade mais elevada da região, através de uma redução dos custos, com vista a tornar o espaço CEDEAO economicamente mais viável no presente contexto de mundialização". Humberto Brito salientou que o documento do PDC representa "uma estratégia, bem focalizada, correctamente planificada, rigorosamente implementada e objectivamente avaliada".
A decisão da CEDEAO em relação ao pedido das autoridades cabo-verdianas será tomada em breve, concluiu.
http://oje.sapo.cv/noticias/nacional/cabo-verde-pede-408-milhoes-de-euros-a-cedeao

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Bebé incluído na lista de 25 jogadores do Manchester United - JN

Bebé incluído na lista de 25 jogadores do Manchester United - JN

Ex-presidente do Brasil acusa Lula de postura "escandalosa" - Globo - DN

Ex-presidente do Brasil acusa Lula de postura "escandalosa" - Globo - DN

Maputo prepara-se para dia quente - Globo - DN

Maputo prepara-se para dia quente - Globo - DN

CV:Cabo Verde "ganha" mais 18 cidades com nova legislação


PRAIA-Cabo Verde passou a ter mais 18 cidades, com a entrada em vigor da lei n.º 77/VII/2010, que eleva à condição de cidade todas as sedes dos municípios do país.
O arquipélago tem a partir de agora 24 cidades, sendo que apenas duas não são sede de concelho - Ribeira Grande (S. Antão) e Santa Maria (Sal), que foram elevadas de vilas a cidade a título excepcional, tendo em conta a sua importância histórica ou turística.
A lei n.º 77/VII/2010 estabelece como critérios para a elevação dos centros de concelhos a cidade a existência de equipamentos relevantes como serviços de saúde, protecção civil, correios e telecomunicações, farmácia, corporação de bombeiros, estabelecimento de ensino, esquadra policial, estabelecimentos hoteleiros, bibliotecas, serviços de transporte urbano e suburbanos.
A lei define, entretanto, que as sedes dos municípios devem passar a cidades, independentemente desses critérios.
A legislação provocou, na altura da sua aprovação, reacções da oposição, que afirmou que nem todas as sedes de concelhos têm condições para serem cidades, por falta de infra-estruturas.
Ontem alguns autarcas do Movimento para a Democracia (MpD, Oposição) voltaram a criticar a medida, por entenderem que as localidades ainda não têm condições para ser cidade.
No entanto o primeiro-ministro, José Maria Neves, afirmou que a elevação das vilas a categoria de cidades vai permitir acelerar o processo de desenvolvimento destas regiões. "É uma medida fundamental para o desenvolvimento e competitividade das ilhas, e mesmo onde haja menos condições para que as sedes sejam cidades aí esta medida é um impulso forte para o crescimento e desenvolvimento de Cabo Verde".
O Chefe do Governo explicou ainda que o Executivo vai aprovar uma proposta de lei de bases das cidades que deverá garantir o diálogo entre os municípios, para a realização dos investimentos necessários com vista a criação de melhores condições nas novas cidades. "Esta proposta de lei permite criar as condições de diálogo entre o poder local e o poder central, no sentido de fazermos novos investimentos a nível do desenvolvimento urbano do acesso ao solo, à água, saneamento e energia. Queremos também trabalhar para que todos tenham acesso mais célere e com mais democracia".
Em termos de saneamento e redes públicas de água e energia, o chefe do Executivo referiu que já existe um programa nacional de saneamento e programas sociais de apoio às famílias mais carenciadas, para que possam estar ligadas à rede pública.
LUSA-http://oje.sapo.cv/noticias/nacional/cabo-verde-ganha-mais-18-cidades-com-nova-legislacao

domingo, 5 de setembro de 2010

Bai Recencia

CV/HOLANDA:Cabo Verde vai ser promovido em festival de música em Roterdão

PRAIA-O objectivo da iniciativa de acordo com nota da CCISS é divulgar que tem apoio da Embaixada da Holanda no Senegal é aproveitar um festival de música cabo-verdiana dia 6 de Novembro no Centro de Espectáculos De Doelen, em Roterdão para promover o País.

Um evento de promoção de Cabo Verde na Holanda vai ser realizado em Novembro, através de uma parceria entre a Cabo Verde Investimentos (CI) e a Câmara de Roterdão.
O objectivo da iniciativa de acordo com nota da CCISS é divulgar que tem apoio da Embaixada da Holanda no Senegal é aproveitar um festival de música cabo-verdiana dia 6 de Novembro no Centro de Espectáculos De Doelen, em Roterdão para promover o País.
Detectar eventuais barreiras comerciais entre a Holanda e Cabo Verde e as potenciais soluções, promover o intercâmbio comercial entre os dois países e introduzir projectos empresariais cabo-verdianos no mercado de Roterdão, são outras metas a serem atingidas.
RTC.CV

sábado, 4 de setembro de 2010

ELIMINATÓRIAS PARA CAN-2012 -CABO VERDE 1 MALI 0

ELIMINATÓRIAS PARA CAN-2012 - CABO VERDE CONFIANTE DEPOIS DA VITÓRIA FRENTE AO MALI.


PRAIA-A selecção cabo-verdiana de futebol recebeu e venceu esta tarde a poderosa equipa do Mali por uma bola a zero.
A equipa dirigida pelo técnico Lúcio  fez uma partida inteligente contra uma das melhores equipas africanas de momento e jogando no erro e ansiedade do adversário conseguiu uma vitória que pode ser um importante tónico para os próximos embates dos "Tubarões Azuis".Quiça pela primeira vez a equipa nacional,  de todos nós, poderá estar no CAN 2012.
A equipa nacional do arquipélago tem boas possibilidades de se qualificar para a fase final do Campeonato Africano das Nações de 2012, no Gabão e na Guiné-Equatorial.
Na segunda jornada, marcada para 9 de Outubro, desloca-se a Harare para defrontar o Zimbabwe e, na ronda seguinte, recebe na Praia a Libéria, a 26 de Março de 2011.
Posteriormente, Cabo Verde desloca-se a Monróvia para defrontar a Libéria, a 5 de Junho de 2011, e regressa ao Estádio da Várzea a 3 de Setembro de 2011 para jogar contra o Zimbabwe. O combinado cabo-verdiano fecha a sua participação na fase de qualificação com uma deslocação que se antevê muito difícil a Bamako, para defrontar o Mali.
Guiné Equatorial e Gabão, na qualidade de co-organizadores, qualificaram-se automaticamente para a fase final do CAN-2012.
Rádio Atlântico(staff)

Qualificação para o CAN2012: Cabo Verde vence Mali no Estádio da Várzea

PRAIA-Um golo de Varela, marcado aos 43 minutos da primeira parte num bom cabeceamento, bastou para que Cabo Verde vencesse o Mali por 1-0, no primeiro jogo de qualificação para o Campeonato Africano das Nações.
Este é um resultado importante frente ao principal adversário dos Tubarões Azuis no Grupo A de qualificação para o CAN2010, a disputar no Gabão e na Guiné Equatorial, o que permite a Cabo Verde assumir a liderança do grupo e partir com mais moral para o próximo jogo, frente a selecção do Zimbabwé, a 10 de Outubro, em Harare.
Num bom ambiente no Estádio da Várzea, Cabo Verde conseguiu travar o jogo do Mali, desfalcado de Seydou Keita do Barcelona e Kanouté do Sevilha, ambos lesionados.
Cabo Verde entrou nervoso na partida mas com o passar dos minutos foi estabilizando o seu jogo e conseguiu marcar perto do final da 1ª parte.
O Mali teve sempre mais bola mas nunca conseguiu criar muitas oportunidades de golo. A defesa de Cabo Verde comandada por Nando, ia respondendo às investidas dos malianos e na baliza Fock ia resolvendo o que os colegas não conseguiam, ele que está em grande forma.
Em declarações a imprensa logo após o jogo, Lúcio Antunes, técnico nacional, ressalvou os três pontos, importantes para manter o sonho de Cabo Verde marcar presença, pela primeira vez, numa fase final de um Campeonato Africano de selecções.
Esta foi o quinta vitória da selecção cabo-verdiana frente aos malianos, em jogos oficiais. O balanço agora é de cinco triunfos, dois empates, seis derrotas, oito golos marcados e catorze sofridos.Libéria e Zimbabwe disputam o outro jogo da primeira jornada deste Grupo A.
Evandro Delgado/SAPO CV

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

MPD REGIÃO POLITICA ESPECIAL DA HOLANDA-JANTAR E CONVIVIO

MPD REGIÃO POLITICA DA HOLANDA-JANTAR E CONVIVIO
Jantar Convivio- Dirigentes e de amigos do MpD na Holanda
Dra Filomena Gonçalves e Dra Joana Rosa

28 de Agosto de 2010
Público presente no evento organizado pelo MpD da Região Politica da Holanda
Engenheiro Victor Coutinho Vereador da Câmara Municipal da Praia
Dr José Brito do MpD da Região Santiago Norte
Sã convivência entre os militantes e dirigentes do MpD dia 28 de Agosto