segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

CV:SE ELEIÇÕES FOSSEM HOJE MpD VENCERIA COM 54%

10.000 aclamam Carlos Veiga
Num bastião do PAICV, democratas efectuam comício histórico e Veiga anuncia vitória ventoinha
S. Filipe, 30 Janeiro – A rua do Café Fixe foi pequena para acolher os dez mil foguenses que acorreram ao comício do MpD. Segundo pudemos verificar in loco, S. Filipe saiu à rua para aclamar o líder do MpD e manifestar a sua determinação na mudança de que o país precisa, da qual Carlos Veiga é o rosto e a voz.
Emocionado com a recepção apoteótica que, durante o dia, recebeu do povo do Fogo – um bastião tradicional do partido tambarina -, Veiga falou, pela primeira vez nesta campanha, em sondagens e revelou números que, descontando a margem de erro, tem em sua posse, dando vitória esmagadora ao MpD.
Se as eleições fossem hoje, o MpD teria à volta de 54 por cento dos votos expressos e o PAICV apenas 36. O Liberal sabe que a sondagem a que o líder do MpD se referiu foi efectuada há poucos dias, pelo método mais rigoroso que se conhece: o depósito do voto em urna, sendo que a margem de erro se poderá situar nos 3 por cento.
http://liberal.sapo.cv/noticia.asp?idEdicao=64&id=31705&idSeccao=523&Action=noticia

HOLANDA:ONDA “ MESTI MUDA” CONTAGIA HOLANDA

ROTTERDAM - A comunidade cabo-verdiana radicada na Holanda prossegue, de forma activa, as actividades do MpD. Apesar dos parcos recursos, o partido no país das tulipas está a fazer uma campanha serena, mas com muita determinação e confiança na vitória no dia 6 de Fevereiro.
A presença dos Jovens da JpD Holanda e dos amigos de Cabo Verde (organização dos cabo-verdianos com mais de 50 anos residentes na Holanda) tem dinamizado a Campanha do partido de Carlos Veiga. O lema dos militantes democratas da Holanda é: “se o nosso líder não cansa, nós também não nos vamos cansar. Lutar com esforço e sacrifício, porque a onda “MESTI MUDA” é para levar o partido à vitória no dia 6 de Fevereiro”.
No dia 15 de Janeiro, uma Delegação do MpD Holanda esteve no Luxemburgo para uma tertúlia na associação cabo-verdiana daquele País, organizada pelo MpD do Luxemburgo. A 16, foi comemorado o Dia da Democracia na Casa da Cultura, que contou com o espaço cheio para ouvir Norberto Silva a discursar sobre a importância do 13 de Janeiro para a consolidação da jovem democracia cabo-verdiana.Um encontro que foi moderado por Silvestre da Cruz, que contou com a presença de pessoas de várias esferas políticas,desde as que estão próximas do PAICV, da UCID e do MpD .
Uma semana depois (23 DE Janeiro),teve lugar a apresentação do Manifesto Eleitoral do MpD com vários oradores como António Soares, Teresa Lima, Manuel Rocha, Silvestre Cruz e Norberto Silva.
O manifestou suscitou o interesse dos presentes pela sua importância e por se tratar de um documento bem elaborado, com propostas concretas e exequíveis para mudar a política em Cabo Verde.
No dia 20 de Janeiro, a Rádio Grito Minis di Djarmai entrevistou Norberto Silva e Silvestre da Cruz sobre o programa do MpD para as próximas Legislativas.
Segunda-feira (24) houve um debate organizado pelas Televisões comunitárias, Morabeza e Explosão com representas dos três partidos que vão concorrer as próximas Legislativas na Holanda:MpD, UCID e PAICV.
DVD SOBRE VISITA DE CARLOS VEIGA
Carlos Veiga visitou durante a pré-campanha eleitoral, em finais de Novembro, a Holanda e Luxemburgo. Na oportunidade, o MpD das Regiões Politicas da Holanda e do Luxemburgo produziiu um DVD sobre a visita do líder do MpD que contou com o apoio, na produção, filmagens e montagens, da TV Explosão de Roterdão.
Recorda-se que os democratas cabo-verdianos, liderados por Carlos Veiga, foram recebidos em apoteose, tanto na Holanda como em Luxemburgo.
O DVD vai ser lançado no próximo fim-de-semana nas cidades holandesas de Delfzijl e de Zandaam.
DESLOCAÇÕES AS CIDADES DE DELFZIJL E ZANDAAM
Durante este fim de semana, uma caravana de militantes do MpD partiu da cidade de Roterdão para apresentar na cidade de Delfzijl, bastião do MpD , o Manifesto Eleitoral do Partido.
Hoje,dia 30, será a cidade de Zaandam e Amesterdão a receber a caravana do MpD para uma tarde de convívio e de apresentação daquele documento programático dos democratas..
VISITA DE AGOSTINHO LOPES
Na segunda-feira e terça-feira, a Holanda recebe Agostinho Lopes, visita destinada a apoiar e reforçar a equipa de campanha do MpD.Na ocasião, terá lugar um encontro com a Comunidade cabo-verdiana em Roterdão, seguido de um jantar com os militantes e simpatizantes do MpD.
Na Terça-feira haverá acções de campanha que contam com a presença do ex presidente do MpD.
FONTE:LIBERAL.CV

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

FORCV.com | MPLA Oferece 5 Milhões de Dólares ao PAICV Para Campanha

FORCV.com MPLA Oferece 5 Milhões de Dólares ao PAICV Para Campanha

FORCV.com | Documento Sobre Sondagens Divulgado Na Praia

FORCV.com Documento Sobre Sondagens Divulgado Na Praia

FORCV.com | Documento Sobre Sondagens Divulgado Na Praia

FORCV.com Documento Sobre Sondagens Divulgado Na Praia

251 Tempo de antena Ilha do sal

Tempo de Antena Sal e Fogo

VTS 01 1

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

CV:MESTI MUDA: Presidente do MpD fala aos jovens e garante-lhes oportunidades

PRAIA-O próximo Primeiro-Ministro recorda os 20 anos que o MpD assumiu a governação de Cabo Verde, na sequência das eleições multipartidárias quando o paicv abandonou funções por causa da derrota.
“Achada Santo António é berço do MpD que nasceu na escola do Brasil” destaca Carlos Veiga, que realça as intervenções que o antecederam. “Temos uma lista forte, de pessoas da sociedade e que conhece os vossos problemas”, observa. “É uma grande lista”, acrescenta, sublinhando a abertura à sociedade civil e a jovialidade desta equipa.
Aos jovens da Achada Santo António, Carlos Veiga diz que esta zona é diferente dos tempos antigos: o Presidente do MpD lamenta o factor thug, que sêmea terror nos jovens isto porque a actual governação não criou oportunidades para os mais jovens. “Mas há outras esperanças, políticas e soluções que criam oportunidades”, garante, assegurando que o programa de governação do MpD focaliza os jovens. “Estamos a garantir 30 mil postos de trabalho” e grande parte destes postos “ê pa nhôs jovens”.
Maior investimento do País deve ser na juventude, indica Carlos Veiga. “Vale a pena confiar no futuro”, observa, assegurando que o MpD vai abrir oportunidades para, anualmente, jovens cabo-verdianos possam estudar nas melhores universidades do mundo.
Alterar e adaptar o sistema de ensino é outra garantia do MpD que quer o ensino obrigatório em 12 anos. Aposta em línguas estrangeiras é outra garantia e “é importante que os jovens dominem varias línguas”, afiança.
O próximo Primeiro-Ministro anuncia que é fundamental apostar nos recursos humanos. O MpD anuncia muitas bolsas de estudo. “Mentira tem pernas curtas” comenta, assegurando pelo menos 8 mil bolas a partir do próximo ano.
É hora de acreditar num futuro melhor indica Carlos Veiga que considera que apesar das dificuldades criadas pela actual governação há novas perspectivas e novas políticas.
A nível social, há também apostas eficazes particularmente para as pessoas mais carenciadas que não podem recorrer à banca para construir. Aqui, Carlos Veiga indigna-se com a propaganda em torno do projecto casa para todos. O Líder do MpD fala em “fundo imobiliário” para construção de casas condignas. É obrigação de um governo responsável resolver o problema da habitação, assume Carlos Veiga.
Em Fevereiro inicia uma nova fase no País e aqui Carlos Veiga dirige-se particularmente aos professores, uma classe importante entretanto esquecida na última década. “Cabo Verde precisa de vocês com toda a vossa capacidade”, exorta, lembrando que foi o MpD que dignificou, através de medidas políticas, dignificou a classe docente.
TACV é outra temática da conversa. Uma empresa “mal gerida” por sucessivas administrações. A gestão da companhia deve ser feita por gente que entende do assunto”, indica.
É necessário “abrir” os céus das ilhas e Carlos Veiga garante que a TACV será preparada para competir com outras companhias estrangeiras. “Nu ta pol riba la”, garante.
Pensão Social
Carlos Veiga desfaz outras mentiras do paicv sobre a Pensão Social e garante que o projecto desenvolvido pelo MpD na década de 90 é para continuar e irá ter melhorias na próxima legislatura. “Pensão debi aumentadu”, sugere.
O Candidato a Primeiro-Ministro dirige-se agora aos pescadores, a quem promete dignidade profissional e mais: “vamos estudar a atribuição reformas para pescadores e peixeiras”.
Bolsas de estudo. Carlos Veiga retoma a crítica de Miguel Monteiro sobre a bolsa de 10 mil dólares atribuída a uma “amiga especial”.
360 milhões de contos é o montante que José Maria Neves teve à sua disposição. Destes, 260 milhões é resultado de impostos arrecadados junto dos cidadãos. Aqui, Carlos Veiga questiona o primeiro-ministro – segundo notícias vindas a público – se pagou ou não impostos.
Opção e futuro
Dia 6, a opção a ser feita é deveras importante. Em causa o futuro do arquipélago. Há dois programas em disputa. Um é alternativo e apresentado pelo MpD que pode evitar o abismo. Carlos Veiga sublinha a importância da escolha e atesta que o MpD é o “único Partido” capaz de protagonizar uma mudança. “Iremos trabalhar com outros partidos e com a sociedade” garante, exortando ao voto livre e consciente dos eleitores. “Garantimos trabalho e salário”.
“Temos confiança neste povo”, manifesta.
Juventude
Carlos Veiga está satisfeito com a dinâmica em torno da campanha vitoriosa do MpD que tem ao seu lado uma juventude alegre que empresta cor e inovação a esta campanha.
O voto do dia 6, livre, consciente deve ser em Cabo Vede e no futuro, pede Carlos Veiga.
Termina o discurso do Presidente do MpD e ouve-se, vindo da multidão: "Veiga, ê bo ki no crê".
Isto é uma festa louca que toda a todos. "Há um sorriso sincero" agradece Carlos Veiga.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Reportagem: Tunes celebra com lágrimas o fim do partido de Ben Ali - Mundo - PUBLICO.PT

Reportagem: Tunes celebra com lágrimas o fim do partido de Ben Ali - Mundo - PUBLICO.PT

Mundo - Obama deverá recandidatar-se à presidência em 2012 - RTP Noticias

Mundo - Obama deverá recandidatar-se à presidência em 2012 - RTP Noticias

Presidenciais - Cavaco vence presidenciais à primeira volta - RTP Noticias

Presidenciais - Cavaco vence presidenciais à primeira volta - RTP Noticias

Mulher do ex-Presidente liderava "cleptofamília" - Mundo - PUBLICO.PT

Mulher do ex-Presidente liderava "cleptofamília" - Mundo - PUBLICO.PT

Todas as sondagens dão vitória a Cavaco à primeira volta - Política - PUBLICO.PT

Todas as sondagens dão vitória a Cavaco à primeira volta - Política - PUBLICO.PT

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Reportagem: as águas de Janeiro levaram as iÁguas de Março/i - Mundo - PUBLICO.PT

Reportagem: as águas de Janeiro levaram as iÁguas de Março/i - Mundo - PUBLICO.PT

Obama pede respeito por direitos humanos, Hu Jintao reconhece que “há muito a fazer” - Mundo - PUBLICO.PT

Obama pede respeito por direitos humanos, Hu Jintao reconhece que “há muito a fazer” - Mundo - PUBLICO.PT

Detido banqueiro suíço que entregou informações confidenciais à WikiLeaks - Mundo - PUBLICO.PT

Detido banqueiro suíço que entregou informações confidenciais à WikiLeaks - Mundo - PUBLICO.PT

CV:Legislativas/Santiago Sul: Arranque de campanha sem registo de incidentes

PRAIA– Os dois comícios-festa com que o PAICV e o MpD assinalaram quarta-feira e madrugada de hoje o início da campanha eleitoral para as legislativas na Cidade da Praia decorreram sem incidentes, disse à Inforpress fonte policial.
De acordo com o Comandante Regional da Praia, Guilherme Cardoso, “tudo decorreu na maior normalidade, sem qualquer registo de ocorrências”.
Guilherme Cardoso realçou ainda que a Polícia Nacional está preparada para fazer a cobertura da campanha, tendo mobilizado cerca de 300 efectivos, apoiados por várias viaturas distribuídas pelo Piquete, pela Patrulha e pela Brigada de Investigação Criminal e pela Brigada Anti-Crime.
A campanha eleitoral iniciou-se às 00:00 de hoje, prolongando-se até às 24:00 de 4 de Fevereiro.
O dia 5 é dedicado à reflexão, realizando-se as eleições legislativas a 6 de Fevereiro.
O Movimento para a Democracia (MpD), o Partido Africano para a Independência de Cabo Verde (PAICV), o Partido Social Democrata (PSD), o Partido do Trabalho e da Solidariedade (PTS), e a União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) concorrem aos 72 lugares da Assembleia Nacional, disputando a 6 de Fevereiro os votos de cerca de 260 mil eleitores residentes no país e nos três círculos no estrangeiro (África, Américas e Europa e Resto do Mundo).
Nas eleições de 2006, o PAICV venceu com maioria absoluta (52,38 por cento dos votos), obtendo 41 deputados, seguindo-se o Mpd (44,02 por cento - 29 deputados) e a UCID (2,64 por cento - 2 deputados), tendo a abstenção atingido o valor mais alto de sempre em legislativas (45,8 por cento).
DM 
http://noticias.sapo.cv/inforpress/artigo/23358.html

CV:HOMENS E MULHERES DA CULTURA COM VEIGA

PRAIA- Aproveitar a força da cultura cabo-verdiana e dos seus intérpretes como uma área de negócio que represente, pelo menos, um por cento do PIB nacional, foi uma das ideias força apresentada por Carlos Veiga no encontro com artistas que teve lugar hoje no Quintal da Música, Praia. Mais de cem pessoas, com destaque para a presença de muita gente nova ligada a todos os sectores da actividade, uma plateia que contrastou com o paupérrimo encontro que JMN teve dias antes no mesmo espaço e que conseguiu reunir uma escassa vintena de pessoas afectas à mesma actividade, ouviram Carlos Veiga dizer que Cabo Verde não está condenado a ser País onde criadores e agentes culturais têm pouca importância e são marginalizados.
Ladeado por dois grandes intérpretes do mundo da Música crioula da actualidade, Tito Paris, à sua esquerda e Lura, à direita, o presidente do MpD sublinhou que a Cultura teve, nos últimos dez anos, um dos piores desempenhos entre todos os sectores, “traduzido numa política avulsa, na ausência de estratégia a longo prazo e completa alienação da realidade pessoas, dos agentes, da economia do País e das tendências mundiais”.
Como mudar essa tendência? Carlos Veiga apontou o caminho: implementar um modelo de desenvolvimento que tenha na Cultura um dos pilares essenciais, até como meio diplomático, dispondo-se o futuro Governo democrata a disponibilizar, anualmente, 1 por cento do Orçamento do Estado para a dinamização do sector, legislando no sentido de investir 1% do valor de todas as empreitadas públicas para a construção e manutenção de infra-estruturas culturais e desportivas. Outra garantia dada pelo líder dos democratas foi a de integração da Cultura cabo-verdiana no sistema educacional para a “formação universal de uma cidadania plena”, adoptando um programa de internacionalização da Cultura, apostando na concertação estratégica com outros sectores, como a educação, o turismo, a economia e a formação profissional. A esse respeito, uma ideia lançada pelo presidente do MpD, e que colheu a pronta adesão dos presentes, foi a de expor as fotos dos principais artistas cabo-verdianos nos aviões da TACV de forma a promover a música nacional.
PROPOSTAS INOVADORAS
“Um Governo por mim liderado criará o Fórum Permanente de Cultura (FPC), desenvolverá o Plano Estratégico de Desenvolvimento Cultural (PEDC), o Sistema Nacional de Cultura (SNC), órgão assessor do Governo, e estimulará o Fundo Nacional de Cultura (FNC), com o formato jurídico e institucional de Fundação, com a participação efectiva do Estado e de instituições da cooperação internacional”, referiu Carlos Veiga, delineando alguns aspectos da Carta Programática que divulgou durante este encontro com os homens e mulheres da Cultura cabo-verdiana.
Outra das propostas de Veiga centrou-se na urgência de estender o sistema de segurança social ao sector da cultura, bem como o combate firme à pirataria, defendendo os direitos de autor e a repressão a todos os actos que lhes sejam lesivos.
No período de debate de ideias que se seguiu à intervenção do presidente do MpD, a jovem cantora Paulinha, numa alusão à incontornável importância do líder do MpD na luta pela democracia e liberdade, disse que “Carlos Veiga é um Cabral”, afirmação que foi bastante aplaudida. Sem dúvida, um encontro bastante participado, reforçando a ideia de que a maioria dos agentes culturais do País comungam do desejo expresso pelo líder do partido democrata: Mesti Muda também na Cultura.
http://liberal.sapo.cv/noticia.asp?idEdicao=64&id=31562&idSeccao=523&Action=noticia

CV:COMEÇOU A CAMPANHA PARA AS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS 2011

PRAIA-O Movimento para a Democracia (MpD), o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), o Partido Social Democrata (PSD), o Partido do Trabalho e da Solidariedade (PTS) e a União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), são as forças políticas concorrentes.
Quinhentos e dois candidatos de cinco partidos políticos, entre efetivos e suplentes, iniciam às zero horas desta quinta-feira (20) a campanha eleitoral para a disputa dos 72 deputados à Assembleia Nacional nas eleições legislativas de 6 de Fevereiro em Cabo Verde.
O Movimento para a Democracia (MpD), o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), o Partido Social Democrata (PSD), o Partido do Trabalho e da Solidariedade (PTS) e a União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), são as forças políticas concorrentes.
A 6 de Fevereiro próximo, cerca de 260 mil eleitores cabo-verdianos, numa população residente estimada em 491.571 indivíduos, segundo dados preliminares do Censo 2010, vão pela quinta vez a votos em eleições multipartidárias, desde a abertura ao pluralismo político em Cabo Verde em 1990.
De acordo com informações da Comissão Nacional de Eleições (CNE), o PAICV, liderado por José Maria Neves, actual primeiro-ministro e o MpD, presidido por Carlos Veiga, apresentam listas em todos os 13 círculos eleitorais.
A UCID, de António Monteiro, concorre em 10 círculos eleitorais (Santo Antão, São Vicente, São Nicolau, Santiago Norte, Santiago Sul, Fogo, Brava, Sal, Américas, e Europa e Resto do Mundo) o PTS, de João do Rosário, em cinco (Santo Antão, São Nicolau, Boa Vista, São Vicente, Santiago Norte) e o PSD, de João Além, apresenta listas em três círculos eleitorais (Santiago Sul, Santiago Norte e São Vicente).
Fonte:RTC/INFORPRESS

JOSÉ MARIA NEVES CONFESSA TER SIDO THUG

CARLOS VEIGA RESPONDE A PERGUNTA SOBRE THUGS.AVI

Onda Verde NL: Mpd Holanda nos meios sociais

Onda Verde NL: Mpd Holanda nos meios sociais: "Twitter Facebook Blog"

Debate Legislativas

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Haitian Police Take Ex-dictator Out of His Hotel

Haiti: “Baby Doc” Duvalier foi ouvido e poderá ser acusado pelas atrocidades do regime - Mundo - PUBLICO.PT

Haiti: “Baby Doc” Duvalier foi ouvido e poderá ser acusado pelas atrocidades do regime - Mundo - PUBLICO.PT

Questões de energia dominam campanha em Cabo Verde - Globo - DN

Questões de energia dominam campanha em Cabo Verde - Globo - DN

Cavaco alerta para elevados custos de segunda volta - Sol

Cavaco alerta para elevados custos de segunda volta - Sol

Número de mortos no Rio de Janeiro sobe para 641 - Sol

Número de mortos no Rio de Janeiro sobe para 641 - Sol

CV(LIBERAL):LÍDER DO MpD, CLARO VENCEDOR NO FRENTE A FRENTE, ANUNCIA-SE JÁ COMO O FUTURO PRIMEIRO MINISTRO

Na mensagem final, Neves falou no seu investimento na energia… logo numa noite que ficou marcada por apagões. Por sua vez, Veiga falou nas escolhas que se põe aos cabo-verdianos em 6 de Fevereiro: continuamos com o desemprego, com a insegurança, com a falta de energia ou a mudança. O MpD está preparado para governar Cabo Verde.
Praia, 18 Janeiro – Numa noite de apagões, que afectaram a cidade da Praia (nem a TCV, nem a internet escapou), Neves apagou-se. A imagem que resultou deste grande debate foi catastrófica para o líder do PAICV: ficou o político trapalhão, vendedor de promessas, aos papéis com as duras críticas que Carlos Veigas fez à sua política. Tentou habilidades, escorregou para os insultos, mergulhou na pesporrência. Para Neves, este debate foi um total fracasso.
Na mensagem final, Neves falou no seu investimento na energia… logo numa noite que ficou marcada por apagões. Por sua vez, Veiga falou nas escolhas que se põe aos cabo-verdianos em 6 de Fevereiro: continuamos com o desemprego, com a insegurança, com a falta de energia ou a mudança. O MpD está preparado para governar Cabo Verde, tem nas suas fileiras jovens quadros preparados. É fundamental: mesti muda!
Balanço indiscutível: Veiga deitou Neves ao tapete. Depois do que se viu e ouviu, uma conclusão – Neves já está de saída. Veiga, com tranquilidade e seguro nas suas palavras, afirmou-se já como o próximo Primeiro Ministro.
http://liberal.sapo.cv/noticia.asp?idEdicao=64&id=31553&idSeccao=523&Action=noticia

CV:Debate Legislativas: Carlos Veiga encosta JMN à parede

PRAIA-21h06 começa o debate que é interrompido logo de seguida devido a mais um apagão. Deste por volta das 19h30 várias zonas da Praia e São Domingos estiveram na sukuro. Sem energia. Quase que no mesmo momento há também um apagão no serviço de internet. Dois apagões em menos de uma hora. Mesti muda.
Com recurso a geradores o debate é retomado. Ao longo do programa Carlos Veiga e JMN debatem vários assuntos. O ainda primeiro-ministro adopta a sua postura cómica e dirige sempre a Carlos Veiga em tom jocoso. Insiste na questão do abandono de Carlos Veiga em 2000, quando suspendeu funções para concorrer às presidenciais.
Carlos Veiga clarifica este assunto e leva JMN a aceitar, finalmente, que simplesmente cumpriu as regras do jogo democrático. “Deixei as funções para concorrer em pé de igualdade”, sublinhou mas JMN sem argumentos insistiu no assunto mesmo apesar de ter reconhecido que se cumpriu o Código Eleitoral.
O programa prossegue com alguns momentos mais agitados. JMN quando não tem argumento socorre do abandono do governo mas apanha sempre a mesma resposta já que o próprio Supremo Tribunal deu razão a Carlos Veiga.
Desenvolvimento sustentado, primeiro tema em abordagem. Carlos Veiga fala do endividamento do País que o preocupa. Carlos Veiga considera ser importante a produção local.
21h29 - segundo tema é lançado para o debate. Estabilidade económica: desemprego é o principal problema do país, reconhece, finalmente, JMN, que avança com novas promessas eleitorais. Logo de seguida, Carlos Veiga toma a palavra e avança com as garantias do seu próximo Governo que defende um novo modelo económico. O emprego é uma questão fundamental. Agora, situa-se em 21 por cento. “Falhou”, sentenciou. “As políticas que adoptou não criaram emprego”, acrescentou Carlos Veiga para quem é preciso criar um bom ambiente de negócio em Cabo Verde. “O Governo deve incentivar os privados”, acentuou.
Nos próximos 5 anos é importante criar pelo menos 35 mil empregos, garante Carlos Veiga.
JMN não concorda entretanto com Carlos Veiga, diz novas inverdades, acusa mesmo Carlos Veiga de faltar à verdade e de censurar dados sobre o desemprego. Carlos Veiga munido do relatório assinado pelo ainda primeiro-ministro e prova que não censurou dados como JMN quer fazer crer.
21h40, próximo tema é o turismo, Carlos Veiga indica que é preciso ver o sector como um cluster e como um motor da economia cabo-verdiana. Veiga deseja também a formação profissional no sector e considera que o ainda governo não conseguiu pôr em marcha grandes projectos em matéria do turismo.
Ponto de ordem: JMN insiste no abandono de governo por parte de Carlos Veiga. Em tom jocoso brinca com um assunto. “Não abandonei o governo. O senhor sabe”, lembrou Carlos Veiga.
A nível da educação, Carlos Veiga acentua as dificuldades dos pais e dos alunos e avança com garantias. JMN – lembrou – “agravou os problemas”. É necessário, primeiro, garantir meios às famílias.
Emigração é o tema que encerra o confronto dos dois líderes políticos. JMN diz as suas promessas enquanto Carlos Veiga avança com propostas em concreto. As questões de integração dos nossos emigrantes têm de ser postas na agenda, indica Carlos Veiga que lamenta o atendimento que é dispensado aos emigrantes no país quando vêm de férias.
Há que haver também uma diplomacia cultural particularmente junto das segundas e terceiras gerações. Mas também há que haver diplomacia comunitária. Aqui, as embaixadas têm um papel central, sublinha Carlos Veiga.
Ponto de ordem. Carlos Veiga lembra a JMN que falhou em matéria do salário mínimo, prometido para 31 de Dezembro.
Mensagem final. Carlos Veiga é quem termina o programa com uma declaração à nação. Dia 6 de Fevereiro é dia de decisão importante. Se continuar ou mudar de política.
Desemprego, insegurança, falta de condições para tratar doentes, habitação degradada, mais apagões, menos água. Problemas que preocupam o MpD e o seu Presidente. “Temos que decidir se queremos um Governo que preocupe com as pessoas que resolva com os problemas dos cabo-verdianos” indagou Carlos Veiga.
Nota final. Não há dúvidas que Carlos Veiga saiu em grande em mais este debate com JMN que se portou eticamente mal num debate que serve para clarificar os eleitores sobre as propostas de um e outro candidato.
http://www.carlosveiga2011.cv/index.php?option=com_content&view=article&id=852&catid=33&Itemid=56

domingo, 16 de janeiro de 2011

Encontro Carlos Veiga com Pescadores

Tunísia: O desempregado que derrubou um ditador - Sol

Tunísia: O desempregado que derrubou um ditador - Sol

Todos contra um, um contra a crise: um combate desigual - Política - PUBLICO.PT

Todos contra um, um contra a crise: um combate desigual - Política - PUBLICO.PT

Mundo - Fuga de Ben Ali deixa Tunísia à procura de ordem - RTP Noticias

Mundo - Fuga de Ben Ali deixa Tunísia à procura de ordem - RTP Noticias

Sete dias de luto pelas vítimas de uma tragédia anunciada - Globo - DN

Sete dias de luto pelas vítimas de uma tragédia anunciada - Globo - DN

CV(LIBERAL):MpD promove conferência sobre os Novos Desafios Estratégicos de Cabo Verde

NÃO HÁ PROGRESSO SEM QUALIDADE DA DEMOCRACIA
Praia, 15 Janeiro - Perante uma sala cheia da Biblioteca Nacional, o MpD promoveu durante a manhã de hoje, sábado, a conferência “Os novos desafios estratégicos de Cabo Verde”, evento que contou com a participação de Marcelo Rebelo de Sousa, comentador e professor universitário, Luís Mira Amaral, antigo ministro da Indústria e Energia de Portugal e actual presidente de um banco luso-angolano, António Rebelo de Sousa, professor universitário e que integrou a equipa ministerial de um governo socialista português liderado por Sousa Franco que estabeleceu com Cabo Verde um Acordo de Cooperação Cambial. Ulisses Correia e Silva, Presidente da Câmara Municipal da Praia e Vice-Presidente do MpD, abriu o evento que contou, igualmente, com a presença do líder do Movimento para a Democracia, Carlos Veiga.
“CONTAS EXTRERNAS CONTINUAM A DETERIORAR-SE” (ANTÓNIO REBELO DE SOUSA)
“A Crise Económica Internacional e o Impacto na Economia Cabo-Verdiana” foi o tema de abertura proferido por António Rebelo de Sousa, que começou por prestar uma homenagem a Carlos Veiga pelo facto desta Conferência ser promovida por um partido que teve um papel importante na fundação democracia. Ao abordar a situação económica em Cabo Verde, o professor universitário lembrou que as “contas externas continuam a deteriorar-se em larga medida graças à redução das receitas líquidas com o Turismo e à quebra das remessas dos emigrantes”, apontando, em seguida, os três grandes desafios que o próximo governo deverá procurar ultrapassar:a execução de um programa de Investimentos Públicos, mantendo uma Dívida Pública Sustentável; adoptar uma política monetária cautelosa, procurando estabilizar os afluxos provenientes dos emigrantes e reforçar as reservas líquidas cambiais; e introduzir reformas, tendo em vista uma mais adequada capacidade de gestão da dívida e uma maior estabilidade do sector financeiro. ARS lembrou que foi “graças à coragem e determinação do Governo liderado por Carlos Veiga que Cabo Verde conseguiu a viabilização de uma estratégia de desenvolvimento sustentado”.No entanto, acentuou que atendendo à conjuntura que a economia europeia atravessa, aconselhou o novo governo saído das eleições de 6 de Fevereiro a intervir em várias áreas, nomeadamente, no alargamento da Facilidade de Crédito contemplada no Acordo de Cooperação Cambial celebrado em 1998,criação de medidas adicionais de incentivo ao Turismo e ao sector Financeiro e uma maior flexibilização da intervenção do Estado na Economia. Frisou,igualmente,ser importante reforçar o Estado de Direito Democrático, por que alguns só falam de Estado de Direito e muitas ditaduras se construíram com base nesse pressuposto.
“APOSTAR NA ENERGIA EÓLICA” ( MIRA AMARAL)
Numa intervenção mais técnica, ou não fosse um dos ilustres especialistas mundiais em política energética, Mira Amaral sustentou que Cabo Verde deveria apostar na energia eólica, não aconselhando a instalação de grandes centrais foto-voltaicas, mais onerosas, lembrando ainda que os custos de manutenção dos equipamentos deverá sempre uma questão a ponderar nas negociações com os fornecedores.Mira Amaral defendeu ainda, devido às características do território cabo-verdiano, a instalação de pequenas centrais junto às populações, de forma a evitar os custos de distribuição e de transporte.
“IMPRENSA LIVRE CONTRIBUI PARA MELHOR QUALIDADE DA DEMOCRACIA”
Com a eloquência e conhecimento que o caracterizam, Marcelo Rebelo de Sousa apontou a importância da alternância para a consolidação e melhor qualidade dos regimes democráticos, acentuando que as soluções de governos duradouros não são boas para essa qualidade.
«A vantagem competitiva das democracias com melhor qualidade é a de serem parceiras preferíveis das grandes potências, como os EUA, Europa ou até da China”, disse o professor. E frisou que as condições únicas de ter em Cabo Verde, simultaneamente, um Estado de Direito e um Estado Democrático “é uma conquista do MpD”. Não sabemos se o reputado professor universitário de Direito estava ou não a par dos ataques ultimamente feitos à imprensa livre em Cabo Verde, o certo é que, na sua intervenção, referiu que para “uma melhor qualidade da democracia, importava ter uma imprensa livre”. Nem a propósito…
A encerrar a Conferência, o líder do MpD agradeceu a presença dos intervenientes, acentuando ter sido dado um importante passo na defesa da democracia e no progresso económico e social de Cabo Verde.
http://liberal.sapo.cv/noticia.asp?idEdicao=64&id=31514&idSeccao=523&Action=noticia

sábado, 15 de janeiro de 2011

FORCV.com | Marcelo Rebelo de Sousa e Académicos Portugueses Participam na Conferência do MpD

FORCV.com Marcelo Rebelo de Sousa e Académicos Portugueses Participam na Conferência do MpD

CV:Legislativas: Debate de duas horas aquece noite em Cabo Verde

PRAIA-Pela primeira vez na história da comunicação social de Cabo Verde, a televisão pública acolheu um debate entre os líderes das principais forças políticas do país. José Maria Neves (PAICV), Carlos Veiga (MpD), João do Rosário (PTS) e António Monteiro (UCID) abordaram oito temas relativos à realidade nacional e apresentaram as suas propostas políticas. João Além do PSD, Partido Social Democrático, que concorre em três círculos eleitorais não fez parte deste debate.
Durante duas horas os líderes de quatro dos cinco partidos que concorrem às legislativas apresentaram as suas ideias políticas e debateram oito temas relativos à realidade cabo-verdiana.
Os temas
Foram propostos pelos próprios candidatos, cada um tinha direito a sugerir dois temas para debate, que depois foram seleccionados pelos jornalistas moderadores - Rui Almeida da Televisão de Cabo Verde (TCV) e Joana Olinda Miranda (RCV), ambos Chefes do Departamento de Informação dos órgãos que representam – que apresentaram também sugestões. No final os temas escolhidos foram estes: energia e água; desemprego; educação; segurança e combate à criminalidade; regionalização; protecção social; saúde; modernização e competitividade.
A participação
Cada participante teve direito a 2 min. e 30 seg. de resposta às questões colocadas e 45 seg. de réplica. À tarde houve um sorteio na TCV que permitiu a escolha da ordem de participação inicial que acabou por ser a seguinte: PAICV – UCID – MpD – PTC. Ao longo do debate, a ordem de participação foi-se alternando rotativamente.
Os candidatos
Os participantes ficaram posicionados de pé em semi-círculo, sendo que a ordem da esquerda para a direita foi a seguinte: José Maria Neves, António Monteiro, Carlos Veiga e João do Rosário. Todos os candidatos apresentaram-se vestidos com fato e gravata. No caso do representante do PAICV a cor da gravata escolhida foi vermelho. No caso do MpD, gravata era de cor verde. É de salientar que ambos os candidatos traziam trajes semelhantes aos usados nas capas dos respectivos livros biográficos. O candidato da UCID foi o único que levou o computador portátil para o palco do debate, os restantes participantes optaram pelas folhas de papel. João do Rosário foi o único líder que fez questão em falar crioulo.
O debate
Cada candidato teve rigorosamente 2 min. e 30 seg. para apresentar as suas respostas às questões escolhidas para debate. A seguir às respostas os candidatos tinham 45 seg. para réplicas.
As críticas mais duras surgiram do lado do MpD ao PAICV e vice-versa. O líder do Movimento para a Democracia trouxe dados relativos ao alegado mau desempenho do actual governo e apostou na mensagem de mudança, slogan desta campanha para as legislativas. O PAICV por sua vez apresentou estatísticas relativas ao desenvolvimento e crescimento positivo do país e reafirmou a mensagem da continuidade política.
A UCID, que concorre a 10 círculos eleitorais, apesar de reconhecer alguns pontos positivos no desempenho do actual governo também teceu críticas e apresentou novas ideias de governação, em que o investimento na formação de quadros seria uma alternativa. O PTS, concorre em cinco círculos eleitorais, que apostou forte na divulgação de suas ideias políticas, nomeadamente a aposta na regionalização, que João do Rosário afirmou ser Onésimo Silveira, fundador do partido, o primeiro a incentivar este conceito em Cabo Verde.
Energia e água
José Maria Neves afirmou que o actual governo investiu mais de sete milhões de contos nos últimos anos no sector em causa.” Electrificamos 95 por cento do país”, afirmou o líder do PAICV. JMN salientou ainda a aposta nas energias renováveis. Carlos Veiga por seu lado afirmou que houve quase 4 mil apagões em Cabo Verde em oito anos. O líder ventoinha criticou ainda a forma como é feita a aposta nas energias renováveis. António Monteiro contrapôs que o problema está “na falta de capacitação de quadros” e na “falta de investimento na manutenção (da Electra)”. O PTS defendeu uma aposta ainda maior nas energias renováveis, nomeadamente na iluminação pública feita com base na energia solar.
Desemprego
A UCID apontou o dedo ao Governo por não ter reduzido a taxa de desemprego na medida como tinha prometido e apresentou a aposta na economia privada como uma solução ao problema em causa. O MpD também referiu o incumprimento da promessa de diminuição da taxa de desemprego e prometeu criar, caso vença as eleições mais 35 mil postos de trabalho e duplicar a taxa de crescimento do país nos próximos cinco anos. O PTS sugeriu a aposta na indústria ligeira e o fim do imposto de consumo especial como algumas alternativas ao flagelo. O PAICV admitiu que o desemprego continua a ser um dos principais problemas mas reafirmou que “há que seguir a mesma estratégia” de combate ao desemprego.
Educação
Neste tema, Carlos Veiga foi bastante duro nas críticas afirmando que há (em Cabo Verde) 16 mil jovens fora do sistema (educativo). O líder do MpD falou ainda na baixa qualidade do ensino cabo-verdiano e prometeu instituir 50 bolsas de estudo nas melhores universidades do mundo para estudantes nacionais. O PAICV ripostou de imediato para afirmar que neste momento existem 11 mil alunos nos 10 estabelecimentos de ensino superior a nível nacional, que há mais 17 liceus com mais de 50 mil alunos e questionou o MpD sobre a abolição das bolsas de estudo aquando da sua governação. O PTS por seu lado sugeriu a criação de uma Academia do Desporto, enquanto uma ideia inovadora em termos de formação. João do Rosário falou ainda na descentralização do ensino superior. António Monteiro também afirmou que o actual sistema “falhou” e propôs a aposta nas línguas estrangeiras no ensino básico para aumentar a qualidade do ensino nacional.
Segurança e combate à criminalidade
O PTS mostrou-se preocupado com a delinquência juvenil no país. João do Rosário indicou a criação de uma plataforma de afecto, ligada à Igreja, enquanto uma possível alternativa ao flagelo. O PAICV por seu lado, referiu a “grande aposta” que foi feita na mudança da Polícia Nacional e de outros órgãos de segurança. A UCID apontou a política de polícia de proximidade como uma solução para o problema. Já o MpD afirmou que “as forças de segurança não cumprem o seu papel porque não existem condições (para tal)”.
Regionalização
Neste tema todos os partidos pareceram concordar com a necessidade de uma aposta neste sector para o desenvolvimento nacional. José Maria Neves prometeu reforçar o municipalismo e dar mais poder às ilhas. Tanto a UCID como o PTS sugeriram a criação de duas câmaras para além do governo central. A UCID falou em Câmara Baixa e Câmara de Representantes, o PTS sugeriu um Senado para além da Assembleia Nacional. O MpD acusou o governo actual de bloquear o poder municipal e afirmou que há pastas que deveriam ser retiradas da administração central para serem da tutela das próprias autarquias.
Protecção social
O projecto “Casa para Todos” e o salário mínimo foram os itens mais abordados dentro deste tema. O MpD propôs criar um Fundo Imobiliário para solucionar o actual problema habitacional. O PTS falou em casas – oficinas como alternativas exploradas pelos outros países. A UCID salientou o facto das habitações sociais terem as condições mínimas para serem “habitáveis”. O PAICV referiu as linhas de crédito existentes para a habitação social, bem como a aposta numa política de solos de modo a garantir a implementação eficaz do projecto em causa.
Saúde
Neste domínio o MpD defendeu um sistema misto (privado e público) e sugeriu, entre outras ideias, a aposta no turismo de saúde, com o investimento adequado para tal. O PTS salientou os avanços no sector, mas referiu que ainda “há pessoas que não têm acesso à saúde (em Cabo Verde) e defendeu ainda o prolongamento do horário de funcionamento das delegacias de saúde.” José Maria Neves prometeu continuar a apostar no sector e referiu ainda a a compra de dois helicópteros para a evacuação de doentes inter-ilhas e a criação de um centro de hemodiálise nacional como projectos a cumprir. António Monteiro voltou a sublinhar a aposta na formação/qualificação como obrigatória para o desenvolvimento do sector e propôs um hospital de referência na Praia, um hospital no Fogo e uma nova delegacia de saúde na Brava.
Modernização e competitividade
Foi o último tema abordado onde os partidos defenderam as principais ideias para a modernização e reforço da competitividade. O PTS defendeu novamente a regionalização, as energias renováveis e a produção nacional. O PAICV também apoiou a regionalização, o “empoderamento” das pessoas, a aposta nos transportes inter-ilhas e deixou a mensagem de continuidade do investimento e desenvolvimento feito até então. A UCID voltou a reforçar a ideia da formação, bem como a aposta na ciência, na tecnologia e na inovação. O MpD defendeu a criação de parques científico-tecnológicos, a política de céu aberto, a convergência com a União Europeia, entre outros, e deixou o apelo à mudança como nota final.
Outros debates agendados
Dos outros dois debates que têm lugar na TCV, um acontece no próximo dia 16 de Janeiro, domingo, com os líderes da UCID e do PTS, o outro é no dia 18 de Janeiro, terça-feira. Segundo avança a TCV a condução desses debates vai ser feita pelos jornalistas Álvaro Ludjero Andrade da TCV e Carlos Santos da RTC, ambos directores dos respectivos órgãos.
Praia em polvorosa
Durante o debate que aconteceu nas instalações da TCV, vários apoiantes dos dois maiores partidos cabo-verdianos posicionaram-se em frente à televisão pública para prestar apoio aos respectivos líderes. Com o fim do debate, os apoiantes de bandeiras em punho acompanharam os respectivos líderes às residenciais oficiais, Meio de Achada – Carlos Veiga, e Prainha – José Maria Neves. A festa continuou um pouco pelas ruas da capital com manifestações de ambos os lados.
http://noticias.sapo.cv/info/artigo/1121475.html

FORCV.com | CNE Agride Barbaramente a Liberdade de Expressão e Informação em Cabo Verde

FORCV.com CNE Agride Barbaramente a Liberdade de Expressão e Informação em Cabo Verde

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Vadu : La fora

Prostitutas holandesas vao passar a pagar impostos

Prostitutas holandesas vao passar a pagar impostos

CV:MpD apresenta candidatos em São Vicente com casa cheia


MINDELO-Ontem viveu-se mais uma noite de disputa política na cidade do Mindelo. Ao mesmo tempo e à mesma hora que o paicv com José Maria Neves apresentava a sua lista de candidatos a deputados por São Vicente numa rua do Mindelo, o MpD fazia o mesmo em Monte Sossego com a presença de Carlos Veiga, o próximo Primeiro-Ministro.
Durante todo o dia de ontem a cidade do Mindelo viveu momentos de expectativa com constantes carros de som a anunciar dois comícios a pouca distância um do outro. O paicv apresentava os seus candidatos de São Vicente para as próprias legislativas e anunciava como estrela o seu presidente José Maria Neves. O MpD fazia o mesmo e anunciava como estrela o próximo primeiro ministro de Cabo Verde, Carlos Veiga. Quem iria ganhar na mobilização e na conquista do espaço? Perguntava-se nas ruas e nos cafés, com alguma curiosidade.
Após o início dos comícios e comparando o tamanho dos espaços escolhidos, sobretudo durante as intervenções políticas, quem foi aos dois comícios e comparou, percebeu que o MpD ganhbou a contenda e teve casa cheia na grande rua 1 de Monte Sossego.
Alegria e esperança, mas também uma enorme afirmação da sede de mudança explica a reacção do público que assistiu ao comício do MpD, quer durante a apresentação da Lista de Deputados onde imperou a alegria e o entusiasmo, especialmente com a entrada em palco do Cabeça de Lista Jorge Santos que fez explodir a multidão numa inequívoca expressão de apoio e reconhecimento do Vice-Presidente do MpD.
Jorge Santos não deixou ficar mal a sua gente e fez um discurso forte, incisivo e claramente defensor de São Vicente e da sua autonomia, das suas necessidades e direitos, dirigindo várias vezes ao próximo Primeiro-Ministro de Cabo Verde, Carlos Veiga, fazendo desde já as reivindicações que os Deputados do MpD fazem para a sua ilha.
Por seu lado, a entrada de Carlos Veiga em palco foi algo de retumbante pela energia provocada no povo e pela euforia com que foi recebido. O Líder do MpD fez um discurso longo e especial, tratando São Vicente de forma especial por considerar que a ilha, realmente abandonada nos últimos dez anos, merece um programa especial de medidas imediatas para a levantar e salvar da actual situação de paragem económica e social.
O Ministério do Mar de Cabo Verde será instalado a nível nacional em São Vicente, mas os armadores, os empresários e comerciantes ouviram da boca do próximo Primeiro-Ministro de Cabo Verde garantias que animaram todos os presentes.
A Juventude esteve presente em todo o discurso do Líder do MpD, especialmente quando se falou do desemprego, não esquecendo que São Vicente é a ilha com maior índice de desemprego, especialmente jovem. Carlos Veiga não esqueceu a Cultura e os homens de cultura com tradições muito claras no Mindelo.
Mas Carlos Veiga não deixou de apontar os erros e as mentiras do seu adversário José Maria Neves, quer em São Vicente, quer no resto do País, exemplificando com casos concretos as fantasias e inverdades do líder tambarina.
Com ele o povo gritou várias vezes São Vicente mestê mudá, Cabo Verde mestê mudá, o slogan que anda na boca de todos os cabo-verdianos e reflecte a sede de mudança que também ficou bem clara na noite de ontem do Mindelo onde o cheiro a vitória ficou ainda mais evidente para o MpD.
http://www.carlosveiga2011.cv/index.php?option=com_content&view=article&id=824&catid=47&Itemid=113

domingo, 9 de janeiro de 2011

Gasolina tornou-se droga entre crianças angolanas - Globo - DN

Gasolina tornou-se droga entre crianças angolanas - Globo - DN

Alemanha e França pressionam Portugal a pedir ajuda, diz a revista Der Spiegel - Economia - PUBLICO.PT

Alemanha e França pressionam Portugal a pedir ajuda, diz a revista Der Spiegel - Economia - PUBLICO.PT

Passos Coelho diz que eventual chegada do FMI é sinal do “falhanço grave” do Governo - Política - PUBLICO.PT

Passos Coelho diz que eventual chegada do FMI é sinal do “falhanço grave” do Governo - Política - PUBLICO.PT

FORCV.com | FOTOS: Carlos Veiga Recebido em Euforia no Aeroporto de Boston… Sidónio Monteiro Chega aos EUA

FORCV.com FOTOS: Carlos Veiga Recebido em Euforia no Aeroporto de Boston… Sidónio Monteiro Chega aos EUA

sábado, 8 de janeiro de 2011

MPD DIA 8 DE JANEIRO JANTAR DE GALA

CV:Lusofonia: português não é igual para todos os lusofalantes

PRAIA-O jornal português online "HardMusica" publicou um artigo, onde lembra que, "ainda" o português não é igual para todos os falantes do idioma de Camões. Numa clara referência ao acordo ortográfico, o artigo diz que "no Brasil coincidem para já as antigas e as novas regras, em Cabo Verde a adopção avança, mas devagar, Angola e Moçambique ainda não ratificaram o novo acordo ortográfico, e São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau e Timor ratificaram mas não estão ainda a aplicar a nova ortografia"
No Brasil, a nova ortografia foi instituída por decreto Presidencial em Setembro de 2008, as novas regras começaram a ser adoptadas, com carácter voluntário, a 01 de Janeiro de 2009, estarão obrigatórias a partir de 01 de Janeiro de 2012.
Os diários brasileiros adaptaram-se já à nova ortografia, tal como as editoras e outros meios de comunicação social brasileiros como agências de notícias e portais na Internet.
Cabo Verde vai começar pelas escolas e só no próximo ano lectivo, que arranca em Setembro de 2011, é que a implementação do acordo ortográfico deverá ser uma realidade, com a reformulação dos manuais escolares e planos curriculares do primeiro ao décimo segundo ano.
A informação foi prestada à Lusa pelo ministro da Educação, Octávio Tavares, explicando que o Governo está a "aproveitar a revisão dos curricula para iniciar a implementação do acordo".
"Estamos a elaborar os novos programas e manuais, que terão já incorporado o novo acordo ortográfico e é um processo que se prolongará nos próximos anos. Será uma implementação faseada para não criar rotura com o sistema actual", disse.
Cabo Verde assinou o acordo em 2005 e, em 2007, através de um decreto do Governo, foi fixada a entrada em vigor a partir de 2009, com um período experimental de seis anos.
O ministro moçambicano da Educação, Zeferino Martins, considera que o debate sobre o acordo ortográfico da língua portuguesa não foi suficientemente divulgado e discutido no país, pretendendo apurar as implicações financeiras da adesão à nova ortografia.
Sem apontar datas, o titular da pasta da Educação de Moçambique assinalou: "no momento certo levaremos o assunto ao Conselho de Ministros e à Assembleia da República para aprovação. O nosso objectivo é que os moçambicanos participem suficientemente no debate".
Angola só deverá ratificar o Acordo Ortográfico em 2013, depois de ter solicitado uma moratória de três anos na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).
O Governo angolano defende uma reciprocidade na aplicação do Acordo, com a integração de algumas particularidades do vocabulário angolano, como a escrita por exemplo da palavra Kwanza ao invés de Cuanza.
A preocupação de Angola foi justificada pela antiga directora do Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP), Amélia Mingas, com a necessidade de se integrar no regulamento "aspectos indispensáveis à realidade linguística e cultural de Angola".
Na Guiné-Bissau, o novo acordo foi aprovado pelo Governo a 14 de Novembro de 2009 e ratificado por unanimidade no Parlamento. Contudo, a sua aplicação ainda não começou nem tem data de início marcada.
Em Timor-Leste a situação é semelhante. O Parlamento ratificou o acordo no final de 2009, mas o país não tem ainda um calendário firme para a implementação das novas regras, como disse o ministro da Educação.
"Precisamos de algum tempo para desenvolver instrumentos e materiais escolares para podermos efetivamente implementar o acordo", explicou o ministro João Câncio Freitas.
Em São Tomé, a Lusa tentou saber em que ponto está a adopção das novas regras ortográficas do português, mas não foi possível obter uma resposta do ministro da Educação e Cultura, Jorge Lopes Bom Jesus.
Fonte: Jornal HardMusica
http://www.expressodasilhas.sapo.cv/pt/noticias/detail/id/22197

HOLANDA:Exame para Imigrar para a Holanda será mais difícil

HAIA-A Associação Buitenlandse Partner (Parceria com um estrangeiro) está preocupada com o aumento das exigências para o exame de integração para estrangeiros que desejam imigrar para a Holanda.
Actualmente, aqueles que querem se estabelecer nos Países Baixos precisam fazer um teste de oral de holandês no país de origem. São aprovados aqueles que alcançam uma pontuação entre 16 e 25. É o nível A1-menos. A partir de um de Abril, o nível para aprovação no teste subirá para A1, ou seja, será preciso ter uma pontuação entre 26 e 36.
Paul Streumer, presidente da Associação Buitenlandse Partner, vê na medida uma tentativa do governo em impedir que mais estrangeiros venham morar na Holanda. “Actualmente, muita gente é aprovada nesse teste”, afirma.
De acordo com a associação, é muito difícil aprender holandês estando em um outro país. Segundo Streumer, as duras exigências se converterão em uma barreira extra. Para ele, é lógico seguir um trajecto de integração no país onde você vai morar: “Uma vez na Holanda, os estrangeiros aprendem rápido o idioma.”
Integração mais rápida
Já o ministério holandês de Assuntos Internos afirma que as medidas têm como objectivo fazer com que pessoas que emigrem, tendo por base uma união familiar, estejam preparadas para seu futuro na Holanda. "Essas pessoas poderão participar melhor e mais rápido da sociedade holandesa", diz Nynke van der Zee, assessora de imprensa do ministério.
De acordo com ela, a mudança poderá inclusive melhorar as chances de um candidato ser aprovado. “Os candidatos irão se preparar melhor para o teste oral, o que terá um efeito positivo na sua pontuação e nas chances de ser aprovado”.
O valor cobrado para fazer a prova continua 350 euros. Nos últimos três anos, foram aplicados mais de 25 mil exames de integração no exterior, a maior parte na Turquia, Marrocos e China.
Fonte:RNW em português

Capital da União Europeia mantém Bélgica sem Governo há quase um ano - Globo - DN

Capital da União Europeia mantém Bélgica sem Governo há quase um ano - Globo - DN

Erdogan e Papandreou discutem controverso muro para travar ilegais - Globo - DN

Erdogan e Papandreou discutem controverso muro para travar ilegais - Globo - DN

CV(ANAÇÃO):Islamização: Cabo Verde na mira do Tabligh Jamaat

PRAIA-A organização islâmica radical, Tabligh Jamaat (TJ) prepara-se para fazer mais uma “investida” em Cabo Verde, ainda no decurso deste mês de Janeiro. O “sucesso” da missão realizada entre 30 de Julho a 5 de Setembro, ao que tudo indica, terá dado mostras da existência de um “terreno fértil” para a propagação daquela religião.
Na sua primeira missão desenvolvida na cidade da Praia, a delegação do TJ encetou contactos, essencialmente, com indivíduos da comunidade muçulmana, mas, segundo uma fonte do A NAÇÃO, esta segunda missão - que deverá acontecer ainda no decurso deste mês de Janeiro -, poderá ser “mais agressiva”, porque a ideia é tentar mobilizar jovens cabo-verdianos para a religião, aproveitando o facto de alguns já se terem convertido ao islamismo.
Na primeira viagem, a delegação da organização islâmica radical TJ foi acolhida e alojada, na altura, por um cidadão cabo-verdiano, alegadamente convertido ao islamismo, tendo de seguida iniciado vários encontros com indivíduos provenientes da África Ocidental, designadamente, imigrantes que trabalham na construção civil e como guardas-nocturnos, bem como, com representantes da comunidade libanesa na cidade da Praia.
A TJ quer aproveitar o crescimento “exponencial” da comunidade muçulmana em Cabo Verde, para “marcar terreno”, tendo em conta a sua filosofia de “pregação e propagação”.
Praia, Assomada e Mindelo são as cidades onde se pode notar uma maior movimentação da comunidade islâmica, mas já há indícios de uma certa actividade nas ilhas de Santo Antão e da Boa Vista.
CAPITALIZAÇÃO DE FRAQUEZAS
Outro facto a ter em conta é a crescente adesão de cabo-verdianos ao islamismo, tanto pela via do matrimónio (mulheres) como pela via individual, por jovens que procuram novas experiências, ou, simplesmente, como escape aos males que enfrentam a sociedade cabo-verdiana.
Para tentar capitalizar essas condições “propícias” para a propagação do islamismo, o TJ aproveitou o período do Ramadão para fazer deslocar a Cabo Verde uma delegação chefiada por um alto quadro da organização, o que para alguns observadores terá sido uma decisão “nada inocente”.
Esta visita “coincidiu”, também, com a presença no território nacional do ex-detido de Guantánamo e com a vinda de um alegado “Príncipe” saudita, pretendendo comprar terrenos no Município da Praia, para a construção de uma Mesquita e de um Centro Islâmico.
Esses factos mereceram uma atenção especial das autoridades nacionais, que estão, desde 2009, na posse de dados que dão conta da pretensão do TJ em expandir a sua acção para os territórios de Cabo Verde e da Guiné-Bissau, utilizando Portugal como ponto de partida.
A fragilização da presença das igrejas cristãs (Católica e Protestante), em espaços marcados por alguma precariedade e profundas carências económicas e sociais, poderá abrir flanco para a entrada e potencial instalação da Tabligh Jamaat em Cabo Verde, País de matriz fundamentalmente judaico-cristã.
Esses espaços nem sempre têm sido cobertos, também, por projectos sociais do Governo, deixando, assim, uma franja substancial da população (incluindo imigrantes da CEDEAO), à mercê de organizações islâmicas, dotadas de agendas muitas vezes radicalizadoras e capacidade financeira para as implementar.
O número de imigrantes tanto da Costa Ocidental Africana, como, ultimamente, também da Península Indo-Paquistanesa, trabalhando essencialmente como guardas nocturnos, na construção civil, no comércio informal ou noutros projectos, se instrumentalizado por organizações islamistas radicais, pode, a médio prazo, erigir-se num factor preocupante de ameaça potencial à segurança interna de Cabo Verde, que não pode ser mais ignorado.
DISCURSOS RADICALIZANTES
Esta situação preocupa uma boa franja da sociedade cabo-verdiana que, sem prejuízo pelo princípio de inviolabilidade do direito à liberdade de religião e de culto, garantido pelo artigo 28º da Constituição da República, diz que urge ponderar a introdução de medidas que visem a regularização (existência oficial) dos locais de culto, por parte de todas as congregações religiosas activas no território nacional.
Tal precaução decorre do conhecimento que tem do “modus operandi” das organizações islamistas radicais e do potencial de violência que podem engendrar, normalmente exacerbados em discursos radicalizantes no interior dos locais de culto.
Embora não esteja provado o envolvimento do TJ no encaminhamento de jovens para a Jihad, facto é que a investigação de diversos atentados terroristas e planeamentos de atentados têm revelado as ligações de terroristas às estruturas desta organização.
Cabe ainda referir a existência de indícios credíveis de ligações entre elementos da TJ e grupos extremistas, designadamente na Bósnia, em Cachemira, no Sahel e nas Filipinas.
Relatos não confirmados referem, ainda, o envolvimento da organização no recrutamento de extremistas em prisões e hospitais Europeus.
ACTIVIDADES CAMUFLADAS
Neste contexto, afigura-se que a TJ poderá funcionar como uma organização de base, que, a coberto das suas actividades de cariz religioso, servirá como um meio de cobertura para o recrutamento e circulação de meios materiais e humanos em benefício de organizações extremistas.
No cruzamento de diversas informações, pode-se chegar à conclusão de que a TJ é um “grupo radical” islâmico, que realiza reuniões em vários países do mundo, e que, a pretexto de uma delas possibilita a entrada de alegados terroristas em diversas paragens do globo.
Entretanto, esta “constatação” é refutada, liminarmente, por aqueles que professam o islamismo. “O Tabligh Jamaat é um movimento islâmico tolerante e pacífico, que já está a implantar-se em Cabo Verde e que, em termos de membros e aderentes, pode ser considerado, hoje em dia, o maior movimento islâmico no mundo”, disse ao A NAÇÃO, uma fonte da comunidade muçulmana em Cabo Verde.
A referida fonte explicou, ainda, que o movimento religioso Tabligh Jamaat tem como objectivo relembrar a prática do Islão e que reuniões entre os membros desta comunidade “são comuns, tanto na Europa como em África”.
RADIOGRAFIA DE TJ
Tabligh significa "propagar" e Jamaat significa "grupo". Trata-se de um movimento religioso pacífico e tolerante e ao qual qualquer pessoa se pode juntar”, explicou.
“O facto de pessoas ligadas a este movimento terem vindo de fora para assistir e participar na reunião da comunidade, que se realizou durante o período do Ramadão, é completamente normal”, acrescentou a fonte do Jornal A NAÇÃO.
Entretanto, os Serviços de Informação e de Inteligência de Países da Europa e dos Estados Unidos da América mantêm o TJ sob apertada vigilância, por considerarem que a organização que aparenta ter fins pacíficos poderá estar por trás de esquemas de recrutamento de jovens para acções terroristas.
O Tabligh Jamaat descreve-se a si próprio como um grupo apolítico, não violento e interessado apenas em fazer regressar os Muçulmanos ao Islão.
O seu principal intuito – garantem os seguidores - consiste em preservar a fé, coesão e identidade da população muçulmana. Para tal, oferecem elaboradas definições do que consiste ser-se Muçulmano, sobretudo no que toca ao código que rege o comportamento individual.
Apesar de tudo, apresentam uma mensagem simples e contendo os princípios de base do Islão. Baseando-se nos textos sagrados, este comportamento enfatiza a prática do próprio Profeta e dos fundadores do Islão no século VII.
Ao aderirem a este movimento, os adeptos rompem com o seu modo de vida anterior e adoptam hábitos islâmicos na sua conduta diária.
O modo de actuação do Tabligh consiste na reunião de pequenos grupos de missionários que visitam mesquitas, locais de culto, campus universitários ou se aproximam dos mais desfavorecidos, pregando o regresso aos verdadeiros valores islâmicos.
Com esta abordagem, tentam captar novos membros, normalmente jovens do sexo masculino em busca de identidade, para dedicarem alguns dias ou semanas por ano à da’wa (pregação).
http://www.alfa.cv/anacao/index.php?option=com_content&task=view&id=1960&Itemid=1

Ouattara confiante de que assumirá o poder nos próximos dias - TSF

Ouattara confiante de que assumirá o poder nos próximos dias - TSF

Despesas recorde em tempos de contenção económica - Portugal - DN

Despesas recorde em tempos de contenção económica - Portugal - DN

Filhos de Lula têm que devolver passaportes diplomáticos - Sol

Filhos de Lula têm que devolver passaportes diplomáticos - Sol

Irmãs que trocaram um transplante de rim pela liberdade já saíram da prisão - Mundo - PUBLICO.PT

Irmãs que trocaram um transplante de rim pela liberdade já saíram da prisão - Mundo - PUBLICO.PT

COMUNICADO:MPD-REGIÃO POLITICA DA HOLANDA

COMUNICADO

Ao longo de todo o processo de Recenseamento Eleitoral na Holanda, a postura do MpD tem sido de cooperação institucional e de ajudar na tarefa de sensibilização dos cabo-verdianos residentes neste País para a importância do processo em curso.
Fizemos as reclamações que tínhamos que fazer e, diga-se de passagem, nem sempre foram atendidas. Exemplo: fazer-se Recenseamento mais de uma vez em lugares tidos como próximos do PAICV e ape-nas uma vez em outros creditados com maior simpatia do MpD.
Enfim, esta fase está ultrapassada, mas neste momento assistimos a algo muito mais grave e que pas-samos a relatar.
Números Apurados na CRE-Holanda
1-No final do Recenseamento no estrangeiro, a CRE-Holanda apurou e enviou para Cabo Verde 1.269 inscritos a título definitivo e 100 a título provisório. Mas, em Cabo Verde, a DGAPE excluiu Cidadãos com documento de identificação cabo-verdiano, recenseados definitivamente, e a lista enviada de Cabo Verde contempla. Até este momento. apenas 950 inscritos.
Se num primeiro momento podia ser um erro da Administração pública cabo-verdiana, perguntamos: porque é que até esta, não foi corrigido?
De acordo com a Lei Eleitoral, a partir do dia 07 de Janeiro os Cadernos não podem mais ser alterados. Será que mais de 300 potenciais eleitores na Holanda vão ficar sem exercer o seu legítimo direito de votar por falhas na Administração Pública Cabo-verdiana?
2-Exposição dos Cadernos (art. 65 n.1 Código Eleitoral)
Na Holanda não foram expostos Cadernos Eleitorais para efeito de consulta e eventuais reclamações dos interessados, conforme aliás estipula o Código Eleitoral no seu artigo 65 n.1. A data limite para esse efeito era 13 de Dezembro de 2010, uma vez que as Eleições Legislativas em Cabo Verde foram marcadas para o dia 06 de Fevereiro de 2011. Até hoje, 05 de Janeiro, os partidos nem os eleitores tem conhecimento dos cadernos para eventuais reclamações, por escrito, das omissões ou inscrições inde-vidas no Recenseamento. (art.65 n.2 o que a luz do actual Código Eleitoral constitui uma ilicitude.
3-Reclamação
Em tempo oportuno o MpD-Holanda reclamou desse facto junto CRE-Holanda e da CNE mas não obte-ve qualquer resposta.
4-Preocupação
O Presidente da CRE Holanda, aparentemente, está em Cabo Verde e só deve regressar a Holanda no dia 07 de Janeiro de 2011.Tendo em conta que o processo na Holanda está confuso e não foram expos-tos Cadernos Eleitorais e nem prestadas mais informações, perguntamos o porque dessa ausência num momento crucial para o processo eleitoral que se avizinha?
Postura do MpD Holanda
A nossa postura tem sido a de defender os eleitores cabo-verdianos, como provamos em diversos encontros tidos com a CRE-Holanda, o último no dia 18 de Dezembro de 2010 no Consulado de Cabo Verde que funciona como sede da CRE.
O MpD Holanda pergunta quando é que vai haver a exposição dos Cadernos?
Será legal a expô-los fora do prazo estipulado pela lei eleitoral?
Quando é que os indivíduos poderão reclamar eventuais falhas existentes nos Cadernos, se até hoje não foram ainda comunicados?
No caso de mais 300 eleitores cabo-verdianos não puderem exercer o seu direito legítimo em votar nas próximas eleições de 06 de Fevereiro, quem serão os culpados?
A bem do processo eleitoral cabo-verdiano, eliminemos de vez, eventuais ameaças de fraude que pai-ram actualmente no nosso sistema e que podem fazer perigar a nossa democracia como tem aconteci-do, aliás, um pouco por toda diáspora cabo-verdiana; Sejamos um bom exemplo para o mundo.
Com Consideração e estima
Roterdão, 05 de Janeiro de 2011
Pela Comissão Politica do MpD Holanda

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Bélgica bate recorde europeu com 208 dias sem Governo - Mundo - PUBLICO.PT

Bélgica bate recorde europeu com 208 dias sem Governo - Mundo - PUBLICO.PT

Carlos Veiga enumera prioridades no sector da Educaçao

Dr Carlos Veiga Assomada

"É preciso recuperar a autoridade do Estado na Guiné-Bissau" - Globo - DN

"É preciso recuperar a autoridade do Estado na Guiné-Bissau" - Globo - DN

FORCV.com | MpD-Holanda: "DGAPE Excluiu Cidadãos Recenseados com Documento de Identificação"

FORCV.com MpD-Holanda: "DGAPE Excluiu Cidadãos Recenseados com Documento de Identificação"

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

CV(LIBERAL):KRIOLA CHEGOU COMO ARMA ELEITORAL

MINDELO-O catamaran Kriola deverá ter sido lançado ao mar na baía do Mindelo, efectuando amanhã, quinta-feira, a viagem inaugural rumo à cidade da Praia, de onde seguirá no dia 9, em direcção à Brava.
A cerimónia de baptismo do navio deveria ter tido lugar, ontem, no Porto da Praia, mas o comandante do Panthera, que trouxe o catamaran desde Singapura, entendeu não estarem reunidas as condições para o desembarque, tendo o navio rumado a São Vincente.
Com capacidade para 164 pessoas, ar condicionado, espaço para transporte de 20 carros e três camiões de 18 a 24 rodas, o barco distingue-se dos demais pelo seu conforto e modernidade, atingindo uma velocidade de 20 nós por hora, ligando Santiago e Fogo em cerca de 3 horas. Representa um investimento de 6,3 milhões de dólares, o mesmo montante do seu irmão “gémeo”, o Liberdade, que deve chegar a Cabo Verde no próximo mês de Abril.
O Kriola é um dos dois fast ferry que irão ligar o país de norte a sul, pondo termo ao cada vez mais latente isolamento em que vivem muitas ilhas de Cabo Verde. Poderá especular-se com a coincidência deste projecto, há muito tempo planeado,(quatro anos),só agora comece a ser concretizado, a poucos dias das eleições legislativas, inserindo-se em mais uma das múltiplas medidas eleitoralistas que beneficiam o partido do poder. E, por algum motivo, o ministro das Comunidades Emigradas, Sidónio Monteiro, revelou que a empresa concessionária, a CV Fast Ferry, irá receber do Estado uma subvenção de 20 mil contos.Regalia que uma outra empresa, a Moura Company, não teve do Estado,ao adquirir dois catamaran ligando as ilhas do Maio, Fogo e Brava. Isto já para não falar no facto de a viagem inaugural do catamaran Kriola assumir contornos de festim eletoral, com a presença de quinhentos emigrantes, especialmente arregimentados na Holanda, Portugal e Paris, vindos para o Arquipélago a bordo de um voo directo da TACV…será que vão pagar do seu bolso o convite? A resposta é mais do que evidente…
Fonte:Liberal.sapo.cv

CV(INFORPRESS):Frente-a-frente José Maria Neves e Carlos Veiga será a 18 de Janeiro na TCV e RCV

PRAIA-Dezoito de Janeiro, 21:00 horas, é a data marcada para o frente-a-frente televisivo entre os dois principais candidatos às eleições legislativas de 6 de Fevereiro, em Cabo Verde, José Maria Neves, do PAICV, e Carlos Veiga, do MpD.
A informação foi dada à Inforpress esta manhã pelo director da Televisão de Cabo Verde (TCV), Álvaro Ludgero Andrade, avançando que o debate vai ser transmitido em directo e simultâneo na Rádio de Cabo Verde (RCV) e TCV, conforme proposto pelos partidos.
Com a duração de uma hora e meia e moderado por um jornalista da RCV e outro da TCV, este vai ser o primeiro confronto directo e transmitido em directo entre os dois adversários partidários na corrida eleitoral.
Conforme Álvaro Ludgero Andrade, os debates entre os líderes partidários têm início no dia 14 de Janeiro, com a presença dos presidentes de todos os partidos na corrida eleitoral, com a excepção do Partido Social Democrata (PSD), de João Além.
Nesse primeiro encontro, José Maria Neves (PAICV), Carlos Veiga (MpD), António Monteiro (UCID) e João do Rosário (PTS) vão apresentar as suas propostas para os próximos cinco anos, caso vierem a ganhar as eleições.
“Esse debate vai para o ar às 21:00 horas e terá a duração de duas horas. Deverá ter o mesmo formato que temos estado a utilizar até o momento, com perguntas respostas e réplicas”, explicou Álvaro Ludgero, reportando à alteração da programação da TCV para que o mesmo aconteça às 21:00 horas.
A este seguem-se os debates de confrontação entre os candidatos. O primeiro, a ter lugar no dia 16 entre os partidos menos representativos, ou seja, que não concorrem a todos os 13 círculos eleitorais, designadamente a UCID e o PTS, para dois dias mais tarde acontecer o confronto entre os lideres dos maiores partidos, PAICV e MpD.
Por enquanto prosseguem-se os debates temáticos. Para esta terça-feira, o tema será Justiça e Segurança, que para além dos representantes dos três partidos que vinham participando desde o seu início (PAICV, MpD e UCID), contará também com a representação do Partido do Trabalho e da Solidariedade (PTS), conforme garantiu o director da TCV à Inforpress.
Na próxima semana, 12 de Janeiro, vai estar em discussão a Cooperação e Desenvolvimento.
MJB/Inforpress/fim

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Mundo - Aumenta o número de países que reconhecem a Palestina - RTP Noticias

Mundo - Aumenta o número de países que reconhecem a Palestina - RTP Noticias

Mundo - Schwarzenegger deixa o posto e um buraco orçamental - RTP Noticias

Mundo - Schwarzenegger deixa o posto e um buraco orçamental - RTP Noticias

Carlos Veiga enaltece experiência e juventude da equipa ST Norte

Costa do Marfim: Nações Unidas investigam valas comuns - Sol

Costa do Marfim: Nações Unidas investigam valas comuns - Sol

TV do Afeganistão ousa e cria programa para mulheres falarem de abusos sofridos em casa - O Globo Online

TV do Afeganistão ousa e cria programa para mulheres falarem de abusos sofridos em casa - O Globo Online

Enriquecimento ilicito: Leia a peticao CM

Enriquecimento ilicito: Leia a peticao CM

domingo, 2 de janeiro de 2011

PORTUGAL:Cavaco quer sacrifícios repartidos "sem excepções ou privilégios"

LISBOA-O Presidente da República afirmou na mensagem de Ano Novo que é “imprescindível” que os portugueses estejam “unidos para enfrentar as dificuldades que atravessamos e que, repito, não irão desaparecer em 2011”.
Para essa união, considera Cavaco Silva, é essencial que os sacrifícios sejam “repartidos de uma forma justa por todos, sem excepções ou privilégios”.
“Perante as situações de pobreza e exclusão com que somos confrontados, pretender fugir aos sacrifícios é uma atitude que não se coaduna nem com os mais elementares princípios da política republicana nem com o valor fundamental da coesão social”, adiantou o Presidente da República, lembrando que “a coesão social é um elemento-chave da coesão nacional”.
Lembrando que “Portugal tem hoje mais de 600 mil desempregados” e que o “recrudescimento da pobreza” está “em níveis que são intoleráveis”, o Presidente da República considerou ser “essencial que 2011 fique marcado pela firmeza no combate ao desemprego e pobreza”.
Destacando que os portugueses souberam no ano passado reconhecer o “valor e a importância da coesão e da solidariedade”, Cavaco recordou que “atravessamos situações financeiras muito graves e hoje, todos temos de o reconhecer, possuímos uma vida melhor do que todas as gerações que nos precederam. Portugal é, actualmente, um país mais justo, mais desenvolvido e mais livre do que o foi ao longo de toda a sua História”.
“Não podemos deixar para trás os que mais precisam: os jovens que buscam emprego, os desempregados de longa duração, os idosos mais carenciados, os que sofrem a pobreza e a exclusão, as crianças em risco, os deficientes, as famílias que enfrentam grandes privações”, adiantou.
Na parte inicial do discurso de hoje, Cavaco Silva fez uma crítica indirecta ao Governo, por não ter reconhecido as dificuldades do país, apesar dos alertas do Presidente da República.
Fonte:http://www.sabado.pt/Ultima-hora/Politica/Cavaco-quer-que-todos,--sem-excepcoes-ou-privilegi.aspx

Mensagem de Ano Novo do Presidente da República

Oprah lança OWN, o seu próprio canal de televisão (vídeo)

Oprah lança OWN, o seu próprio canal de televisão (vídeo): "Sarah Ferguson e Rosie O’Donnell juntam-se a Dr. Oz e Dr. Phil com formatos próprios"

LURA CRIOLA (So Um Cartinha)

Tientallen donaties voor zeilmeisje Laura - Laura's zeilreis - AD

Tientallen donaties voor zeilmeisje Laura - Laura's zeilreis - AD

Sócrates disse a Dilma que Brasil é prioridade - Globo - DN

Sócrates disse a Dilma que Brasil é prioridade - Globo - DN

CV(LIBERAl):ADVOGADO ESFAQUEADO PELA IRMÃ

RIBEIRA GRANDE- O esfaqueamento perpetrado pela própria irmã do advogado Amadeu Oliveira, destacado militante do PAICV, foi um dos acontecimentos do foro criminal que marcaram o último dia de 2010. Na sequência de um desentendimento, Oliveira foi golpeado com uma arma branca pela irmã Bia, tendo sido submetido a uma operação de urgência no Hospital João Morais, na Ribeira Grande, antes de ser evacuado para São Vicente, desconhecendo-se os motivos desta agressão, dado que a Polícia Nacional se recusou a divulgar pormenores do crime à imprensa.
Os casos mais graves, ocorridos na sequência de agressões ou excesso de álcool durante a Passagem de Ano, registaram-se na Praia, onde, no Hospital Agostinho Neto foram atendidas 50 pessoas, uma das quais esfaqueada e dois feridos com bala, tendo um deles não resistido aos ferimentos e acabou por falecer. Em São Filipe, o primeiro dia de 2111 ficou assinalado por um grave acidente no Bairro de Santa Filomena, com o registo de seis feridos.
Fonte:liberal.sapo.cv

CV(INFORPRESS):Cabo Verde presta última homenagem a Norberto Tavares

ASSOMADA- O povo de Cabo Verde prestou hoje, no Centro Cultural Norberto Tavares, em Santa Catarina, a sua última homenagem ao cantor e compositor, que emprestou o seu nome a este edifício emblemático da cultura cabo-verdiana.
A cerimónia foi marcada por uma grande movimentação de artistas, políticos, familiares, amigos e cidadãos anónimos, que reconheceram o malogrado como um dos maiores símbolos da cultura cabo-verdiana, particularmente do funaná.
Na ocasião, o chefe do Governo, José Maria Neves, comprometeu-se fazer tudo para que as mais de 40 composições inéditas de Norberto Tavares, reveladas pelo irmão António “Totó” Tavares, venham a ser gravadas.
Na hora de despedida, José Maria Neves imortalizou Norberto Tavares como aquele que foi sempre um farol e uma referência dos jovens de Santa Catarina e de Cabo Verde, enquanto um grande talento nascido na localidade, que se prepara para receber o seu corpo.
É que para o primeiro-ministro, Norberto Tavares soube cultivar tão bem a música e a cultura cabo-verdiana no mundo inteiro, garantindo mesmo que foi o primeiro artista a estilizar o funaná, outrora tocado no quintal e no interior de Santiago.
Já o presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, Francisco Tavares, centralizou a sua intervenção à volta do “ilustre filho da terra”, que ficou marcado pela sua “jornada de um badio” e pela proeza, pela forma como soube valorizar e dignificar a cultura cabo-verdiana durante os 35 anos da independência nacional.
Em representação dos artistas, o músico, compositor e intérprete Káká Barbosa apresentou o malogrado como uma referência da música tradicional cabo-verdiana, defensor da “nossa cultura” e que tão bem soube divulgá-la no mundo inteiro.
Já os familiares, representados pelo irmão António Tavares e Tóto, este último alvo de uma singela homenagem do primeiro-ministro, em forma de agradecimento por ter doado um dos seus rins ao malogrado, agradeceram o gesto de todos os cabo-verdianos, por terem feito tudo para que um dos maiores desejos de Norberto Tavares fosse concretizado: ser enterrado na sua localidade, em Santa Catarina.
Neste momento, o corpo está a ser encomendado numa missa de corpo presente na igreja de Nossa Senhora de Fátima, no centro da cidade de Assomada, numa cerimónia presidida pelo pároco José Álvaro Borja.
Fonte:SR/Inforpress/Fim

Dilma Rousseff toma posse

A POSSE: Dilma Rousseff - Dilma faz juramento solene durante sua posse

Lichaam Bobby Farrell maandag in Nederland - Showbizz - AD

Lichaam Bobby Farrell maandag in Nederland - Showbizz - AD

sábado, 1 de janeiro de 2011

Lula da Silva já entregou faixa presidencial a Dilma - Globo - DN

Lula da Silva já entregou faixa presidencial a Dilma - Globo - DN

OM: 187 mensen in cel na jaarwisseling - Nieuws - AD

OM: 187 mensen in cel na jaarwisseling - Nieuws - AD

Meer agressie en arrestaties tijdens jaarwisseling - Binnenland - AD

Meer agressie en arrestaties tijdens jaarwisseling - Binnenland - AD

Dilma Rousseff já é a Presidente do Brasil - Mundo - PUBLICO.PT

Dilma Rousseff já é a Presidente do Brasil - Mundo - PUBLICO.PT

Wereldwijd 2011 in - nieuws - AD

Wereldwijd 2011 in - nieuws - AD

ABBA Happy New Year 2011 & Lyrics

Legalização da cannabis quer chegar ao Parlamento - Sol

Legalização da cannabis quer chegar ao Parlamento - Sol

Novo destino para o último condenado à morte em Havana - Sol

Novo destino para o último condenado à morte em Havana - Sol

Zapatero analisa um 2010 'difícil' - Sol

Zapatero analisa um 2010 'difícil' - Sol

Rustig het nieuwe jaar in - Nieuws - AD

Rustig het nieuwe jaar in - Nieuws - AD

Utrechtse jongen (13) gedood door illegaal vuurwerk - Nieuws - AD

Utrechtse jongen (13) gedood door illegaal vuurwerk - Nieuws - AD

Marina Silva: "O Brasil avançou muito, mas na política há um atraso sem tamanho" - Mundo - PUBLICO.PT

Marina Silva: "O Brasil avançou muito, mas na política há um atraso sem tamanho" - Mundo - PUBLICO.PT